Ameaça de veto de Trump aumenta perspectiva de encerramento do governo no final do ano

Ameaça de veto de Trump aumenta perspectiva de encerramento do governo no final do ano

O pacote, que inclui USD 892 biliões em resposta específica ao vírus Covid-19, que matou mais de 323 mil americanos, foi o resultado de meses de negociações entre republicanos e democratas no Congresso. Também financia as operações do governo até Setembro de 2021. Trump, num vídeo postado nas redes sociais na noite de Terça-feira, surpreendeu alguns dos seus funcionários mais próximos ao exigir que o projecto de lei fosse revisado para incluir pagamentos de USD 2.000 a cada americano, mais que o triplo dos USD 600 que o Congresso vinha discutindo, publicamente, por quase uma semana antes. Uma fonte familiarizada com a situação disse que assessores pensaram que haviam convencido Trump a sair da demanda de USD 2.000 na semana passada, para saber que ele não desistiu, apenas quando postou o vídeo. Isso surpreendeu até mesmo o seu secretário do Tesouro, Steven Mnuchin, que participou nas negociações e apoiou a cifra de USD 600.

O financiamento federal actual deve expirar na Segunda-feira se Trump, que está programado para partir para a Flórida na Quarta-feira, não sancionar o projecto. Isso dispensaria milhões de funcionários federais e fecharia grande parte do governo dos Estados Unidos num momento em que se está a precipitar para distribuir duas vacinas contra o Coronavírus e enfrentar um hack massivo que as autoridades dizem ter sido perpetrado pela Rússia. A administração de Trump ajudou a redigir o projecto de lei e a Casa Branca disse, no Domingo, que ele o assinaria. No vídeo, Trump exigia que o projecto de lei fosse retirado da ajuda externa, que está incluída em todos os gastos federais anuais.

Também se opôs a outros elementos do projecto de 5.500 páginas, como a criação de peixes e o financiamento dos museus Smithsonian. Trump não disse se realmente vetaria a legislação. Ele deixará o cargo a 20 de Janeiro,  quando o presidente eleito, Joe Biden, tomar posse. Ele também desencadeou uma briga paralela com o Congresso que chega ao ápice na Quarta-feira, prazo final para decidir se cumprirá o seu tratado de vetar a Lei de Autorização de Defesa Nacional de USD 740 biliões. Trump não gosta do projecto de lei, que financia os militares e é aprovado ininterruptamente todos os anos por décadas, porque retiraria os nomes de generais confederados das bases militares e porque não revoga protecções de responsabilidade – não relacionadas à defesa – para empresas de media social, como  Twitter e Facebook, que Trump considera hostis aos conservadores.

A Câmara dos Representantes, controlada pelos democratas, e o Senado, controlado pelos republicanos, aprovaram o projecto por amplas margens bipartidárias e podem retornar a Washington para anular o seu veto, se necessário. A Câmara dos Representantes já planeia retornar a 28 de Dezembro se Trump vetar o projecto de política de defesa. Esse é o mesmo dia que o financiamento do governo está prestes a expirar. Ambas as medidas foram aprovadas com maiorias à prova de veto, mas um veto colocaria os colegas republicanos de Trump numa posição incômoda. Muitos deles opuseram-se aos pagamentos de USD 2.000 que Trump está a exigir agora, e eles teriam que desafiar o líder do seu partido ou mudar a posição sobre esses pagamentos.

Os democratas apoiaram os pagamentos de USD 2.000 solicitados por Trump, e a presidente da Câmara, Nancy Pelosi, disse, na Terça-feira, que estava pronta para votar a proposta esta semana. Ela não abordou as outras preocupações de Trump. Se Trump não tomar nenhuma providência, o projecto normalmente tornar-se-á lei após 10 dias sem a sua assinatura de acordo com a Constituição dos Estados Unidos. No entanto, isso não se aplica a esta situação, porque o Congresso deverá ser encerrado no final do ano. Trump provocou uma paralisação recorde do governo de 35 dias há dois anos, quando rejeitou um projecto de lei de gastos federais sobre o que ele disse ser financiamento insuficiente para a construção de um muro de fronteira EUA-México.