TAAG acusada de sacrificar tripulantes por alegada falta de dinheiro

TAAG acusada de sacrificar tripulantes por alegada falta de dinheiro

O regresso da tripulação estava inicialmente programado para o dia 27 do corrente mês, porém, terá sido antecipado para ontem, menos de 24 horas depois, por, alegadamente, a empresa não ter condições financeiras para suportar os subsídios de viagem e o alojamento.

Segundo a fonte do OPAÍS, há um instrutivo do Instituto Nacional da Aviação Civil (INAVIC) que estabelece que as tripulações não podem fazer dois vôos nocturnos consecutivos. Entretanto, essa escala de vôos elaborada pela Direcção de Operações viola tal norma por prever que a mesma deverá ocorrer das 02 às 06 horas da manhã.

“Não pode ser feito durante este espaço de tempo. Então a TAAG quer que esta tripulação que chegou na Quarta-feira de manhã (ontem) a Lisboa, vai descansar ao hotel e volte a sair à noite”, frisou.

Leia mais na edição em PDF do Jornal OPais Diário.

Faça já a sua subscrição!

Envie um e-mail para info@opais.co.ao e tenha acesso à todas as notícias na íntegra.