Perdas irreparáveis e impactantes no mundo artístico em2020

Perdas irreparáveis e impactantes no mundo artístico em2020

Tais ocorrências iniciadas em Fevereiro tiveram uma sequência assustadora, com o registo de passamento físico de sete artistas de renome, alguns até consagrados, em diferentes datas, o que deixou consternado não só os seus familiares, mas também os fãs, que sempre acompanharam os trajectos artísticos dos seus ídolos.

No referido mês, os cidadãos ficaram surpreendidos com a notícia da morte do jovem cantor Kueno Aionda de 35 anos de idade, vítima de doença, ocorrida no dia 19, no Hospital Américo Boavida, onde se encontrava internado havia cerca de uma semana. Figuras públicas, amigos e admiradores lamentaram a morte do artista, com um futuro promissor, graças ao talento que detinha, cuja divulgação iniciada em 2002, através da participação em vários concursos musicais. Foi mesmo em 2012 que a porta de entrada para o mercado nacional abriu-se para ele, com a sua canção “Tu Vives em Mim”, entre as mais tocadas em rádios, motivo pela qual mereceu o prémio de Kizomba do Ano no Top Rádio Luanda.

Em 2013, o sucesso foi consumado com o lançamento do seu primeiro trabalho discográfico, que mereceu o prémio “Artista Revelação”. Possuía outros sucessos no mercado, que resultaram da dedicação ao trabalho que sempre almejou fazer: que é cantar e encantar o público.

Passamento físico de Waldemar Bastos

Passados seis meses, em Agosto, o passamento físico do conceituado músico e compositor Waldemar Bastos, ocorrido no dia 10 em Lisboa (Portugal), onde residia havia vários anos, deixou os cidadãos no país, e, até mesmo no exterior, totalmente consternados. O músico com 66 anos, nascido na província do Zaire, com uma carreira internacional, padecia de cancro e estava em tratamento médico durante um ano.

Várias reacções foram manifestadas ao longo daquele dia em homenagem ao cantor, que foi sempre crítico e frontal, considerado um verdadeiro africano e um dos mais exímios representantes e defensores da música angolana. Personalidades angolanas e da cultura do mundo lusófono expressaram os seus votos de pesar e consternação pelo desaparecimento físico do cantor angolano, considerado um dos maiores vultos da música angolana.

Luandino de Carvalho, adido cultural da Embaixada de Angola em Portugal, Paulo Flores, Barreto e o General D, rapper natural de Moçambique e outras figuras, consideraram a sua perda irreparável Distinguido em 2018 pelo Estado angolano com o Prémio Nacional de Cultura e Artes, o músico angolano Waldemar Bastos foi um dos mais respeitados artistas lusófonos da world music e dos primeiros artistas de Angola a alcançar a internacionalização.

 

 

Leia mais na edição em PDF do Jornal OPais Diário.
Faça já a sua subscrição!
Envie um e-mail para info@opais.co.ao e tenha acesso à todas as notícias na íntegra.