Morreu agente da polícia ferido durante a invasão ao Capitólio dos EUA

Morreu agente da polícia ferido durante a invasão ao Capitólio dos EUA

Um agente da polícia do Capitólio que ficou ferido durante o ataque ao Congresso dos Estados Unidos morreu na Quinta-feira, confirmaram fontes oficiais citadas pela agência de notícias Efe, elevando para cinco o número de vítimas fatais. A Polícia do Capitólio confirmou a morte do agente, identificado como Brian D. Sicknick, após várias horas de confusão e rumores sobre a possível morte de um agente. “O agente da Polícia do Capitólio Brian D. Sicknick morreu devido a ferimentos sofridos durante o serviço” no ataque ao Congresso, disse um portavoz da força de segurança em comunicado.

Sicknick foi ferido “enquanto enfrentava fisicamente os manifestantes” que invadiram o Congresso, e sofreu “um colapso” quando regressou ao gabinete, pelo que foi levado para o hospital, acrescentou. O agente trabalhava para a Polícia do Capitólio desde 2008, de acordo com a entidade, que disse ter aberto uma investigação. A confirmação oficial surgiu duas horas após a Polícia do Capitólio ter negado uma notícia da cadeia de televisão norte-americana CNN, que dava conta da morte de um dos agentes devido a ferimentos ocorridos durante os incidentes de Quarta-feira. Com a morte de Sicknick, cinco pessoas morreram no cerco e invasão do Capitólio, em Washington.

As outras vítimas mortais, identificadas pelas autoridades, são os manifestantes Ashli Babbitt, de 35 anos, de San Diego, Califórnia; Benjamin Phillips, de 50, de Ri, Pensilvânia; Kevin Greeson, de 55, de Athens, Alabama; e Rosanne Boyland, de 34, de Kennesaw, Georgia. Milhares de apoiantes do presidente cessante dos EUA, Donald Trump, entraram em confronto com as autoridades e invadiram o Capitólio, em Washington, na Quarta-feira, enquanto os membros do Congresso estavam reunidos para formalizar a vitória do Presidente eleito, Joe Biden, nas eleições de Novembro. O Congresso acabaria por ratificar na Quinta-feira a vitória de Joe Biden, na última etapa antes de ser empossado, a 20 de Janeiro.