Militantes da FNLA buscam ajuda do Tribunal para pôr fim às desavenças internas

Militantes da FNLA buscam ajuda do Tribunal para pôr fim às desavenças internas

O coordenador do secretariado executivo do Bureau Político da FNLA, Pedro Dala, disse ontem, em Luanda, que o IVº Congresso Ordinário marcado para os dias 16, 17 e 18 de Agosto de 2021, se for realizado com sucesso, poderá dar ao partido a oportunidade de acabar com as divisões e voltar à normalidade.

Pedro Dala fez saber que a realização do referido Congresso está dependente da decisão que o Tribunal Constitucional (TC) poderá tomar nos próximos dias, já que o mesmo tinha invalidado o teor das duas últimas reuniões do Comité Central, presididas pelo actual líder do partido, Lucas Ngonda, onde se decidiu que o Congresso em causa deve ser realizado nos dias 17, 18 e 19 de Junho do ano em curso. As duas datas escolhidas para a realização do Congresso continuam a dividir opiniões.

Para Ndonda Nzinga, membro do Comité Central da FNLA, a data para a realização do IVº Congresso Ordinário já foi afixada para os dias 17, 18 e 19 de Junho de 2021, e o mesmo deverá ser convocado por Lucas Ngonda, tendo ele a liberdade de concorrer também. Espera-se que todos os membros participem sem haver divisão de alas.

“Todos terão de ir num único Congresso, abrangente. Temos que nos entender para avançarmos com a obra. Ainda não há definição de candidaturas, a comissão preparatória do Congresso é que vai definir isso, o que significa que o presidente Lucas Ngonda pode concorrer porque não há nenhum pressuposto estatutário que lhe impede”, disse Ndonda Nzinga.

Pedro Dala, por seu turno, alega que só pode ser realizado o Congresso inicialmente agendado para o mês de Agosto, porque aquele que, supostamente, Lucas Ngonda e a ‘sua turma’ decidiram para Junho não tem nenhuma validade perante o Tribunal.

“Essas reuniões todas foram forjadas pelo próprio Lucas Ngonda para ele poder ganhar tempo de ludibriar os órgãos de informação e os órgãos de soberania nacional. A pretensão dele nesse momento é que o Tribunal dê deferimento às duas reuniões do Comité Central para que o congresso seja realizado em Junho, com uma única candidatura e lhe dar a possibilidade de continuar na liderança do partido até 2022”, disse Pedro Dala.

O político não descartou a possibilidade de se candidatar à liderança do partido, referindo que nos últimos dias tem estado a considerar esse desiderato.Se conseguir de uma forma positiva a decisão dos órgãos competentes e, se a sua equipa estiver de acordo, só então poderá dar seguimento à candidatura.

Analisando a situação actual do partido, Pedo Dala referiu que a divisão e a desordem vividas dentro da FNLA, considerada como um dos partidos históricos do país, poderão ser ultrapassadas, se todos se unirem e trabalharem para um único objectivo. Para ele, a realização do Congresso no mês de Agosto, autorizada Tribunal Constitucional, irá repor a legalidade do partido.

“Se conseguirmos realizar o Congresso no mês de Agosto, com a participação de todos, sem coartar a liberdade de ninguém no que respeita as candidaturas, a partir dali, as coisas entrarão numa normalidade e nós vamos poder trabalhar, afincadamente, no sentido de prepararmos a nossa participação nas próximas eleições gerais”, concluiu.