Comemoração do 38.º aniversário do estabelecimento das relações diplomáticas china-angola

Comemoração do 38.º aniversário do estabelecimento das relações diplomáticas china-angola

Exactamente há 38 anos, no dia 12 de Janeiro, a China e Angola estabeleceram, formalmente, as relações diplomáticas. A partir daquele dia, as relações bilaterais de amizade e cooperação têm sido continuamente consolidadas e desenvolvidas. Em Novembro de 2010, a China e Angola estabeleceram a parceria estratégica, concordando em construir a comunidade com um futuro compartilhado em direcção à nova era e elevar o nível das relações amistosas.

A China tem sido o maior parceiro de cooperação económica e comercial de Angola e os interesses comuns dos dois países não páram de aumentar, fazendo com que se torne num exemplo de cooperação China-África e cooperação Sul-Sul. Nos últimos anos, o presidente chinês Xi Jinping teve vários encontros com o seu homólogo angolano João Lourenço. Em 2018, o presidente Lourenço fez duas visitas à China.

Em Setembro de 2020, os dois líderes fizeram uma conversa telefónica, durante a qual o Presidente Xi sublinhou que, face à Covid-19, os governos da China e de Angola adoptaram medidas resolutas e decisivas para salvar a vida do povo e controlarem eficazmente a propagação da Covid-19. A amizade China-Angola resistiu ao teste especial da pandemia. A China enviou especialistas médicos para muitos países africanos, incluindo Angola, e estabeleceu um mecanismo de cooperação hospitalar de contrapartida.

A China e Angola apoiam-se e ajudam-se mutuamente, e os cidadãos dos dois países foram bem tratados pela outra parte nos momentos difíceis. A China está disposta a continuar a prestar assistência, no alcance das suas capacidades, ao lado angolano e cumprirá o seu firme compromisso de que as suas vacinas serão fornecidas como um bem público global e está disposta a cooperar com os países africanos necessitados em vacinas contra a Covid-19 e torná-las mais acessíveis e económicas em África.

A China e a África sempre foram uma comunidade de interesses comuns e de destinos compartilhados. O fortalecimento da união e cooperação com os países africanos é a escolha estratégica sólida a longo prazo da China. A China está disposta a manter o intercâmbio estreito com os países africanos amigos e fazer novos planos e implementações para as relações China-África e cooperação mutuamente benéfica através do Fórum da Cooperação China-África.

Desejamos promover o desenvolvimento comum China-África, construir uma comunidade China-África ainda mais forte, para que os povos de ambos os lados possam sentir profundamente os benefícios tangíveis trazidos pela nossa amizade bilateral. Para continuar a elevar a amizade a China-África para um novo patamar, de 4 a 9 de Janeiro de 2021, o Conselheiro de Estado e Ministro das Relações Exteriores da China, Wang Yi, foi convidado a fazer visitas oficiais a cinco países africanos. Esta é a 31.ª visita consecutiva que o ministro das Relações Exteriores da China efectua à África no início do Ano Novo. Quero salientar que Angola fez parte do périplo de visitas do ministro Wang Yi em 2018.

Embora a Covid-19 ainda se esteja a espalhar pelo mundo, o ministro das Relações Exteriores da China continua a sua tradição diplomática e realiza visitas entre irmãos, demonstrando a plena solidariedade, confiança mútua, amizade tradicional e firme determinação entre a China e a África. Embora a pandemia tenha causado um forte impacto, ela não pode impedir a China e a África de avançarem juntas.

Estamos dispostos a fortalecer a comunicação com os amigos africanos, com base na nova situação, novas necessidades e novas oportunidades de cooperação China-África, promover a qualidade e actualização da cooperação China-África e criar uma “África saudável”, “África de conexão” ,”África de fabricação”, ”África digital”, ”África de boa colheita”, “África verde” e “África segura”. Actualmente, a China está a construir um novo padrão de desenvolvimento, enquanto a Área de Livre Comércio do Continente Africano foi lançada conforme programado. A cooperação ganha-ganha e o desenvolvimento comum da China-Angola e China-África tem necessidades, vantagens e oportunidades recíprocas.

Ambas as partes devem persistir na compreensão da direcção correcta do desenvolvimento das relações da perspectiva estratégica a longo prazo, aumentar a confiança política mútua, apoiar-se mutuamente para escolher e melhorar os caminhos de desenvolvimento de forma independente. A China trabalhará com Angola e a África para fortalecer a cooperação mutuamente benéfica em vários campos e trabalhar juntos e avançar em prol do desenvolvimento e da vitalização nacional, transformando as tradicionais vantagens amigáveis numa força motriz para a cooperação ganha-ganha, aprofundar de forma abrangente a cooperação mutuamente benéfica e ajudar o nosso amigo africano a transformar as suas vantagens em recursos naturais e humanos em resultados concretos de desenvolvimento que beneficiem o povo e alcançar a independência e sustentabilidade.

A China está disposta a encorajar e apoiar as empresas chinesas a investirem em Angola na assistência de diversificação económica, tanto na construção de parques industriais e infra-estruturas, como nos domínios de agricultura, pesca e minas.

A China vai expandir ainda mais os intercâmbios culturais, interpessoais com Angola, apoiando a parte angolana no desenvolvimento dos recursos humanos e na capacitação da saúde pública. Vamos também cooperar nas Nações Unidas e outras agências internacionais com o fim de salvaguardar os direitos legítimos ao desenvolvimento e interesses comuns dos países em desenvolvimento, com o fim de construir, conjuntamente, uma comunidade China-Angola ainda mais forte.

*Embaixador da China