Sonangol aposta na reabilitação de Pipeline para o aeroporto e atingir redução de custos operacionais

Sonangol aposta na reabilitação de Pipeline para o aeroporto e atingir redução de custos operacionais

A Unidade de Negócios de Distribuição e Comercialização da Sonangol prepara-se para colocar em funcionamento, durante o primeiro semestre deste ano, um novo complexo de pipelines e centrais de armazenamento que vão agilizar o transporte de combustível em vários pontos do país, com destaque para a reposição do pipeline Jet A1 que sai do IBV-5 na Boavista ao Aeroporto Internacional 4 de Fevereiro. Segundo alguns analistas, este projecto representa uma redução de custos anuais de 2,2 milhões de dólares

Para melhorar o processo de distribuição de combustível em todo o país, a Sonangol tem neste momento, entre outros, quatro projectos essenciais, nomeadamente a construção da instalação de combustíveis de Saurimo, o ramal ferroviário de Luena-Moxico, a operacionalização da instalação de combustíveis da Matala, e a reposição do pipeline Jet A1, que liga a zona de armazenamento de combustível da Boavista directamente ao Aeroporto Internacional 4 de Fevereiro.

No seu conjunto, e no âmbito do Programa de Regeneração e Reestruturação da Sonangol, a concretização destes projectos irá traduzir-se em melhorias significativas nas infraestruturas de descarga, redução de custos operacionais, maior segurança operacional, redução do tempo de descargas e aumento da frequência, apoio ao fomento da produção na região agrícola da Matala e redução dos custos de transportes.

Quanto ao pipeline de Jet A1, que reactiva o pipeline para o aeroporto de Luanda a partir da instalação de armazenamento IBV5 na Boavista, a infraestrutura, que teve início em Junho de 2020, segundo fonte desta unidade de negócios, “resultará em benefícios tangíveis, tanto para a sociedade, como para o mercado, e, em última instância, para o país, porque permitirá, em primeiro lugar, uma significativa redução dos custos operacionais relacionados com o transporte rodoviário e um alívio ao trânsito em Luanda”.