ATL de formação artística da Fubu retoma aulas presenciais em Fevereiro

ATL de formação artística da Fubu retoma aulas presenciais em Fevereiro

Para dar maior comodidade aos alunos, a direcção da escola já trabalha na criação de condições com o reforço das medidas de biossegurança e apetrechos do recinto

O anúncio do retorno às aulas em Fevereiro próximo, pelo ministro de Estado e chefe da Casa de Segurança do Presidente da República, Pedro Sebastião, suspensas em Março de 2020, devido à pandemia da Covid-19, continua a motivar os pais e encarregados de educação que em Julho do ano transacto tencionavam integrar os seus filhos no ATL de Formação Artística “Meninos da Fubu Fora da Delinquência”.

Segundo o formador Justino Ginzamba, a notícia chegou em boa altura porque permitirá a inserção dos adolescentes que, durante a preparação e apresentação pública do projecto, viram as suas intenções fracassadas com o prolongar da Situação de Calamidade Pública, que também apelava o distanciamento.

O professor referiu que, a semelhança das demais instituições do país, teve de cumprir as orientações emanadas pelo Decreto Presidencial. Resolvida que está a situação, prosseguirá com a agenda formativa do referido ATL, dando prioridade aos menores com idades compreendidas entre os 8 e 11 anos, nas áreas específicas.

O objectivo principal deste projecto é desencorajar as más práticas, expressar o talento da criança e incentivá-la a praticar um instrumento. Para dar maior comodidade aos alunos, o professor realçou que estão a ser criadas as condições em todas as áreas de formação, incluindo o reforço das medidas de biossegurança, devendo esta última garantir a segurança e bem-estar dos alunos e professores, exigindo igualmente o uso obrigatório da máscara; permitir o acesso às áreas comuns, a disponibilização do álcool gel, cumprir o distanciamento de pelo menos 1,5 m entre pessoas e não permitir a partilha de objectos, conforme as orientações das autoridades sanitárias.

A intenção, segundo Justino Ginzamba, é inscrever até ao próximo mês de Fevereiro 80 alunos, que, por sua vez, estarão divididos em cinco grupos, numa acção formativa de 1 hora.

No que se refere aos instrumentos tradicionais por exemplo, a escola acaba de ser reforçada com 20 marimbas, associadas a dicanza, ao quissanje, entre outros, e assentos típicos tradicionais para os formandos nesta magnífica área.

A par da formação no domínio de instrumentos e da música tradicional, a direcção do ATL decidiu abrir também uma secção de instrumentos modernos, tais como a guitarra, o teclado, a bateria e viola baixo, com duas horas por semana.

O professor recordou que estão a ser adoptados todos os procedimentos para que os novos formandos sintam-se seguros quanto à situação de biossegurança contra a Covid-19. As aulas serão ministradas em dias e horários alternados com número de alunos reduzidos por aula. A intenção é favorecer um contacto direito entre alunos e instrumentos musicais tradicionais e possibilitar a manipulação destes, de modo experimental.

Trata-se de um projecto que incluirá futuramente outras disciplinas artísticas, como a dança, a investigação”, entre outras.