1º de Agosto desmente greve de fome no plantel

1º de Agosto desmente greve de fome no plantel

O 1º de Agosto desmentiu ontem que os jogadores estejam em greve de fome depois de terem cumprido os 15 dias de quarentena a que foram obrigados pela Comissão Multissectorial de combate à pandemia do novo Coronavírus. Segundo uma fonte, os jogadores em nenhum momento tiveram a intenção de partir para esta acção.

Por esta razão, continuavam em isolamento no condomínio Dany Massunguna à espera da autorização da Comissão Multissectorial de combate à pandemia para regressarem aos trabalhos. De acordo com o que este jornal apurou, a direcção do 1º de Agosto foi apanhada de surpresa, porque as informações que circulavam nas redes sociais não correspondem à verdade. Segundo um comunicado a que OPAÍS teve acesso, o 1º de Agosto esclarece que quando regressar aos treinos, irá solicitar 15 dias para trabalhar a condição física.

A formação das Forças Armadas Angolanas, fundada em 1977, não treina faz tempo. Por isso, precisará de alguns dias para trabalhar também os aspectos técnicos e tácticos de modo a regressar na máxima força. Recorde-se que o 1º de Agosto só disputou ainda uma partida na maior festa do futebol nacional. Na primeira jornada disputada, no Estádio 11 de Novembro, em Luanda, os militares derrotaram o Interclube por uma bola sem resposta. Naquela partida, Moya causou dores de cabeça à defesa da equipa afecta à Polícia Nacional. Por este facto, aos 51 minutos, selou a vitória da formação do Rio Seco.