Angola perde diante da RDC no Mundial de andebol do Egipto

Depois da derrota ontem, o sete angolano começa hoje a preparar o jogo frente à Tunísia, em partida a contar para 32ª e última posição do Mundial, prova que decorre no Egipto

 

A Selecção Nacional sénior masculina de andebol perdeu, por 31-32, diante da República Democrática do Congo (RDC), em jogo referente às classificativas do 25º a 32º lugares do Campeonato do Mundo, prova que decorre em solo egípcio.

Com esta derrota, o combinado angolano vai defrontar a Tunísia, no dia 25 deste mês, para evitar os últimos dois lugares da maior prova de selecções. Por sua vez, os congoleses vão lutar para encerrar a prova na 25ª posição da tabela classificativa do certame.

Na partida de ontem, os Guerreiros, designação do combinado angolano, entrou determinado para conquistar a primeira vitória na maior prova do desporto das sete linhas. Os comandados de José Pereira “Kidó” assumiram as rédeas da partida com uma defesa agressiva e um contra-ataque forte e organizado, apostando em remates a meia e longa distância.

Fruto do ímpecto ofensivo, os angolanos foram ao intervalo a vencer por 15-13, dois golos de vantagem, porque o sete nacional cometeu muitos erros na ponta final da primeira e permitiu que a RDC reduzisse a vantagem para dois. No reatamento da partida, a equipa da RDC alterou o sistema táctico com o objectivo de chegar a igualdade, quiçá a vitória. Ainda assim, os angolanos tentaram gerir a vantagem de dois golos, mas encontravam muitas dificuldades para impor o seu jogo dentro das sete linhas.

Volvidos 47 minutos, a selecção do Congo Democrático vencia Angola por 23-25, porque faltava discernimento aos jogadores da selecção nacional. Aliás, nem os minutos de descontos traziam novas ideias para o grupo.

Na tentativa de inverter o marcador, o técnico angolano usou todas as armas possíveis para regressar ao comando do “placar”, mas os congoleses estavam melhor nos remates em suspensão. Numa ponta final imprópria para cardíaco, a República Democrática do Congo foi mais forte e marcou o golo da vitória a 16 segundos do fim do encontro.

 

DR