ELIVULU e Nvunda Tonet apresentam técnicas para se evitar violência em “Terapia do Perdão”

As pessoas costumam tomar o problema nas próprias mãos e procurar alguma maneira de se vingarem daquelas que as ofenderam. Essa escalada da ira pode degenerar em violência”, advertem os promotores da formação intitulada Terapia do Perdão, que decorrerá de Segunda à Sexta-feira.

O Webinar, promovido pela academia ELIVULU e o psicoterapeuta conjugal e psicólogo clínico, Nvunda Tonet, vai municiar os seus participantes de técnicas sobre como pedir perdão, como perdoar e os passos para tal.

“Quando não se toma a iniciativa de pedir desculpas, surge a raiva e o anseio por justiça”, lê-se numa nota de imprensa a que OPAÍS teve acesso. Esclarece que a necessidade de se pedir perdão permeia todo o tipo de relacionamento humano. Casamentos, criação de filhos, namoro e relações profissionais exigem isso.

O evento, que decorrerá com recurso à plataforma Zoom, contará com a participação especial de Yema Ferreira, psicoterapeuta angolana radicada na Dinamarca.

Nvunda Tonet explica que todo o ser humano sente uma inclinação natural para a felicidade. Porém, entre os obstáculos que dificultam a realização da mesma, o ressentimento e o perdão costumam estar na fila da frente.

“Mesmo quem, aparentemente, reúne muitas condições para ser feliz, resiliente e autónomo pode não o ser (ou conseguir), por estar repleto de ressentimentos, mágoas e ódios, que tornam os dias mais pesados e amargos”.

Nesta segunda edição da Webinar sobre Terapia do Perdão, os promotores predispõem- se a analisar o perdão e os seus efeitos na vida emocional do individuo. Perdoar é uma atitude que exige de cada um de nós discernimento, coragem e humildade.