Carta do leitor // Moradores do bairro Uíge ignoram uso de máscara

Carta do leitor // Moradores do bairro Uíge ignoram uso de máscara

Caro coordenador do jornal O PAÍS,

espero que estejas bem de saúde… É com muita satisfação que volto a escrever para o vosso jornal. Ora, o assunto de hoje recai para a situação que temos vindo a enfrentar: a pandemia do novo Coronavírus que continua a fazer vítimas no mundo. O que vou contar hoje neste texto é deprimente. Sim. É que a Polícia Nacional não tem vindo a ajudar o Estado angolano a combater este maldito vírus ‘‘feito’’ pelos chineses. Quem circula na minha zona (bairro Uíge) vai notar que ninguém tem feito o uso da máscara. Vai constatar que ninguém respeita o distânciamento social.

Os polícias até têm feito patrulhas, quer de dia, quer de noite, mas não têm feito abordagem aos cidadãos que não têm cumprido com as regras impostas pelo Estado angolano. Há festas em todo o lado, sobretudo aos fi ns-desemana e a nossa polícia não fiscaliza, não faz nada, uma vergonha.

Até chego a pensar que os nossos polícias também não acreditam na existência do vírus. Eles acreditam que isto é uma invenção dos políticos para que os cidadãos fiquem privados da sua liberdade. Eles querem é ver alguém com sintomas do vírus para acreditarem que este bicho invisível, afinal, existe.

Não sei se este comportamento irreprovável se deve ao facto de a Pfizer ter anunciado em tempos uma vacina que tem 95% de eficácia. É que houve mesmo um relaxamento. Antes, as pessoas até tinham medo. Agora, tudo é diferente. Parece que nem sequer estamos em tempos de pandemia. É lamentável. Mesmo com o surgimento da vacina temos de continuar a ter cuidado. Isto ainda não acabou. Continua entre nós. Temos é de ser mais responsáveis.

Eu, pelo menos, cumpro com as medidas de prevenção, quer em casa, quer no meu local de trabalho. Tenho feito o uso correcto da máscara, pois sei que isto não é brincadeira. Sei que isto não é uma febrezinha como alguns irresponsáveis têm dito. Este vírus é letal. Não perdoa. Deixa sequelas. O nosso sistema respiratório fica comprometido. É isto que temos de colocar nas nossas cabeças.

Avelino Silas, Luanda