Bons hábitos e bons costumes autenticados nas crónicas “Sexta Festa” de João Rosa Santos

Bons hábitos e bons costumes autenticados nas crónicas “Sexta Festa” de João Rosa Santos

A coluna que o jornalista e escritor João Rosa Santos assina, semanalmente, neste matutino dá título ao seu mais recente livro de crónicas “Sexta Festa” e integra a colecção “Bolsos”, chegando à disposição dos leitores sob a chancela da União dos Escritores Angolanos, que acolhe o seu acto de lançamento e sessão de autógrafos nesta Sexta-feira, 29, a partir das 17 horas e 30 minutos, em Luanda

Em entrevista ao jornal OPAÍS, o autor revela que a obra foi prefaciada pelo jornalista e escritor Luís Fernando, que considera pessoas como João Rosa Santos, que assumem o hábito de marcar o hábito do tempo com as suas crónicas, eternizando pequenos nadas e grandes ocorrências da vida, são cidadãos que outros cidadãos menos dados aos artifícios da escrita saberão sempre mais tarde ou mais cedo agradecer.

O processo de criação deste livro resulta, igualmente, da compilação de crónicas já publicadas?

Nesta obra, tal como nas anteriores, procurei seleccionar um conjunto de crónicas que retratam as diferentes facetas do quotidiano. Ainda assim, vale dizer que, em função do novo normal que vivemos por causa da Covid-19, constituem a tónica dominante das crónicas ao acaso. No fundo, é a literatura em festa, um pequeno exercício de sobrevivência, uma exaltação à vida, claro, ficando em casa.

O que pretendeu transmitir com essa chamada “Sexta Festa”, uma expressão, por sinal, muito usual na juventude nos dias de hoje?

Como é de conhecimento público, já há uns bons anos, assino crónicas neste jornal. Deste exercício, a cada dois anos selecciono cerca de 30 textos que são publicados em formato de livro de bolso. “Sexta Festa” foi a coluna que assinei nos últimos tempos, daí a razão de ser do título do livro e a incidência pandémica em boa parte dos textos, desta feita, e como sempre, contando com o prefaciador-”mor” das minhas obras, o também escritor e amigo Luís Fernando.

João Rosa Santos é descrito como um dos melhores contistas da praça nacional segundo a crítica. O que traz de novo e simultaneamente de diferente neste novo escrito?

Bons hábitos, bons costumes, saber ouvir os conselhos dos mais velhos, das autoridades, porque, afinal, a vida é uma festa, vale a pena ser vivida nos marcos da lei e da ordem, sem excessos nem atropelos. Nos dias de hoje, ficar a Sexta-feira em casa, desfrutar de crónicas ao acaso, é, com certeza, uma boa festa que faz bem à saúde, os mais novos merecem.

Leia mais na edição em PDF do Jornal OPais Diário.

Faça já a sua subscrição!

Envie um e-mail para info@opais.co.ao e tenha acesso à todas as notícias na íntegra.