Portugal em fase ‘terrível’ de pandemia; pouca ajuda estrangeira esperada, diz PM

Portugal em fase ‘terrível’ de pandemia; pouca ajuda estrangeira esperada, diz PM

Portugal está numa fase terrível da pandemia do Coronavírus e pode esperar uma ajuda limitada do exterior, disse o primeiro-ministro António Costa, enquanto a equipa do hospital alertava que estavam sobrecarregados

Com um total de 668.951 casos confirmados de Covid-19 e 11.305 mortes, incluindo um recorde de 293 mortos na Quarta-feira, Portugal tem a maior média mundial de sete dias de novos casos diários e mortes por milhão de habitantes. “Não adianta alimentar a ilusão de que não estamos a enfrentar o pior momento”, disse ele à emissora TVI durante a noite.

A situação não era má, mas terrível, disse ele, “e enfrentaremos esse pior momento por mais algumas semanas, com certeza”. Alguns hospitais estão a ficar sem leitos, outros têm suprimentos de oxigénio cada vez menores e médicos, e enfermeiras estão sobrecarregados. Funcionários do Hospital de Cascais, perto  de Lisboa, disseram à Reuters que estão exaustos e às vezes têm dificuldade para se manter motivados.

“Não há fim à vista”, disse uma enfermeira. A Alemanha disse, na Quarta-feira, que estava disposta a ajudar e enviou especialistas médicos militares a Portugal para avaliar que tipo de apoio poderia trazer. Mas Costa alertou que há muito que a Alemanha e outros parceiros europeus podem fazer. “É preciso ter cuidado” com a ideia de enviar doentes para o estrangeiro vindos de Portugal, que, situado no extremo sudoeste do continente, só tem fronteira terrestre com a já sobrecarregada Espanha. Sobre as possíveis ajudas alemãs, disse: “Em tudo o que Portugal pediu, infelizmente não há disponibilidade, nomeadamente médicos, enfermeiros.”

PM faz mea culpa

Costa disse que a situação piorou em parte porque o seu governo relaxou as medidas restritivas entre o Natal e o final do ano, mas também por causa da virulência de uma nova variante do vírus detectada pela primeira vez na Grã-Bretanha.

“Certamente houve erros: muitas vezes a forma como transmiti a mensagem para os portugueses … e, quando o destinatário da mensagem não entendeu a mensagem, então a culpa é do mensageiro, não tenho dúvidas”, disse. Numa rara nota de esperança, ele acrescentou que as medidas de bloqueio decididas na semana passada deveriam, em princípio, começar a ter um impacto nos números de contágio na próxima semana.

Mais de 20 ambulâncias com pacientes Covid-19 faziam fila do lado de fora do maior hospital de Portugal, o Santa Maria, em Lisboa, na noite de Quarta-feira, enquanto esperavam por leitos disponíveis, numa ilustração de como os hospitais estão sobrecarregados. Três grandes sindicatos de médicos disseram num comunicado que milhares de seus membros ainda não foram totalmente vacinados e temem exposição ao vírus. O governo forneceu uma actualização sobre o plano de vacinação na tarde de anteontem.