Editorial: Lunda-Norte

Editorial: Lunda-Norte

Não há palavras que descrevem a morte de qualquer cidadão, independentemente do que tenham protagonizado. A província da Lunda- norte, mais concretamente a zona de Cafunfo, no município do Cuango, foi ontem palco de acontecimentos que não abonam o momento que vivemos no país, tendo originado a morte de seis pessoas, segundo dados oficiais.

A Polícia nacional, através de um comunicado, fala na tentativa de rebelião, em que os integrantes do autodenominado Movimento Lunda Tchokwe pretendiam invadir a esquadra policial, com material bélico e hastear a bandeira desta organização.

De acordo com o comunicado, além de armas brancas, os populares faziam-se acompanhar de outros meios bélicos e pretendiam invadir a esquadra de Polícia.

Ainda assim, é importante que face aos acontecimentos se abra um inquérito para se apurar o que realmente terá ocorrido, uma vez que se acusa os agentes da Polícia e outros efectivos presentes de terem usado uma força desproporcional para conter o acto.

A região do Cuango, rica em diamantes, tem sido assolada por casos do género. As fricções entre moradores e agentes da Polícia nacional têm sido quase uma constante, não sendo este o primeiro em que há vítimas nem o único em que os populares tentam também invadir as esquadras da Polícia nacional.

Para o bem da nação, que se apure realmente a razão, para que não voltemos a constar pelas piores razões, dos relatórios das organizações internacionais.