Reformas em curso no país estão a responder aos anseios do povo

Reformas em curso no país estão a responder aos anseios do povo

A vice-presidente do MPLA, Luísa Damião, afirmou ontem, no Andulo, província do Bié, que o MPLA, sob a liderança do Presidente João Lourenço, tem estado a empreender um conjunto de reformas políticas, económicas e sociais para responder aos anseios e aspirações dos angolanos

Luísa Damião fez estas declarações durante o seu discurso na apresentação da Agenda Política para 2021 do seu partido, acrescentando que o MPLA está cada vez mais forte porque no seu seio regista-se o pulsar da energia e sangue novo.

“Com o cruzar da experiência e sentido de militância dos mais velhos, orientados a pautarem-se por uma nova conduta eivada de exigência ético-moral e de sentido patriótico”, sustentou.

Estas reformas se reflectem também no combate à corrupção e à impunidade, pelo que se deve continuar com esta cruzada para moralizar a sociedade. “Neste contexto, devemos prosseguir e apoiar, sem reservas, o combate à corrupção e à impunidade. O combate à estes dois males é um imperativo nacional.

Para um combate cerrado contra estes dois males sociais, segundo Luísa Damião, o seu partido quer contar com o apoio da sociedade civil, das igrejas, dos jornalistas, dos líderes de opinião e das restantes forças políticas.

“Para juntos trabalharmos na moralização da sociedade e combatermos os males que ensombram o nosso presente, colocando em causa o futuro dos nossos filhos e netos. É de facto uma tarefa que toda a sociedade deve abraçar”, disse.

Diversificação da economia

Luísa Damião anunciou também que o MPLA este ano, vai continuar a apoiar as medidas de políticas no sentido de diversificar a economia nacional. “Urge fazer das nossas potencialidades e riquezas, factores de bem-estar das nossas populações”, tendo apontado a agricultura e a indústria para assumirem o seu papel no desenvolvimento económico e social de Angola.

Juventude no centro das atenções

Na sua intervenção, a vice-presidente do MPLA assegurou os jovens vão continuar no centro das preocupações. “Por isso, vamos redefinir as prioridades e projectos do Plano Nacional de Desenvolvimento da Juventude, dando primazia à questão do emprego para os jovens e a sua inserção na vida económica e social”, garantiu.

Entretanto, incentivou o empreendedorismo juvenil para garantir a sua participação no processo de diversificação da economia nacional. “Temos de potenciar a criatividade e o espírito de iniciativa dos jovens, promovendo programas culturais de modo a preservar a identidade nacional, valorizar a Pátria e o património cultural”, sustentou.

Defendeu também o reforço das medidas e as acções constantes do plano de Reforma do Estado, na criação de condições para a institucionalização das autarquias locais e a realização das eleições autárquicas.

Denunciar actos

No seu discurso, Luísa Damião apelos aos militantes, simpatizantes e amigos do MPLA a estarem atentos e a denunciar os actos que ponham em causa as instituições legalmente constituídas, bem como a paz e a democracia, a reconciliação e unidade nacional.

Citando o líder do partido, João Lourenço, no discurso das comemorações no âmbito do 64.º aniversário do MPLA, disse ser necessário “ contrapor a agenda política de subversão da ordem constitucional, gizada e a ser já executada pelo nosso adversário”.

Segundo ainda a vice-presidente do MPLA, é preciso fazer valer a legitimidade política e a autoridade histórica do MPLA e trabalhar arduamente para continuar a merecer o voto de confiança do povo angolano.

Para continuar a merecer a confiança, defende que se intensifique o trabalho com disciplina, coesão e unidade, tendo o apelo para se arregaçar as mangas e partir para o combate político, “imbuídos do espírito de bravura das populações mártires do Bié”.

Para isso, as estruturas do Partido, da base ao topo, devem reforçar activamente a sensibilização e a mobilização, visando atrair cada vez mais para as fileiras do MPLA franjas da sociedade civil e grupos representativos de cidadãos, acrescentou.

Luísa Damião disse ainda ser importante reforçar o diálogo e a concertação permanente, alargando a zona de influência no seio da sociedade civil, no meio universitário, nos institutos médios e nas organizações juvenis.

Agenda política

A Agenda Política do MPLA 2021 define (oito) eixos estratégicos, que consiste na consolidação da paz, da unidade e da harmonização nacional. Organizar e realizar o VIII Congresso Ordinário do MPLA, que terá lugar em Dezembro sob o lema “MPLA por Uma Angola Mais Desenvolvida e Inclusiva”.

Organizar e realizar com êxito o VII Congresso Ordinário da OMA, que se realiza em Março, sob o lema “Mulher Angolana, Participação, Inclusão e Desenvolvimento”, também consta da agenda.

Intensificar as acções de combate à corrupção, à impunidade, e o nepotismo, com vista a moralização da sociedade; preparar o Partido para participar e vencer as eleições gerais e as eleições autárquicas, promover acções estruturantes no âmbito da reforma do Estado, entre outros, fazem ainda parte da agenda.