País sem mortes por Covid-19 nas últimas 24 horas, 33 infecções e 145 pessoas recuperadas

País sem mortes por Covid-19 nas últimas 24 horas, 33 infecções e 145 pessoas recuperadas

O secretário de Estado para a Saúde Pública, Franco Mufinda, anunciou, ontem, à imprensa, a ocorrência de 33 novas infecções por Covid-19, sem nenhum caso de morte, mas 145 pessoas recuperadas. Dos infectados constam 15 da província de Luanda, 10 de Cabinda, quatro do Huambo, três do Bié e um da Lunda-Sul, perfazendo um total 19.829 casos positivos de Covid-19, com 466 óbitos e 18.180 recuperados

O governante, que falava na habitual actualização diária do balanço sobre a situação epidemiológica no país, no CIAM, comunicou que foram confirmados, nas últimas 24 horas, 33 novos casos de Covid-19, em cinco províncias, dos quais 29 do sexo masculino e quatro do género feminino, com idades compreendidas entre 22 e 83 anos.

O secretário de Estado para a Saúde Pública, Franco Mufinda, disse que os 15 novos casos positivos registados em Luanda são das localidades de Belas, Cacuaco,Talatona e Viana.

Os restantes casos foram registados 10 na província de Cabinda, quatro do Huambo, três do Bié e um da Lunda-Sul. Segundo Mufinda, nas últimas 24 horas, não houve registo de nenhuma morte por Covid-19.

Entretanto, conseguiram recuperar 145 pessoas, com idades entre um e 74 anos, dos quais 56 da província de Luanda, 32 do Bié, 20 do Huambo, 15 do Zaire, 10 da Lunda-Norte, oito de Cabinda, três Benguela e uma do Cuando Cubango.

Com a alteração dos dados, o país passa a ter 19.829 casos positivos de Covid-19, com 466 óbitos, 18.180 recuperados e 1.183 casos activos. Dos activos, seis estão em estado crítico com ventilação mecânica invasiva, 10 em estado grave, 93 moderados, 101 com sintomas leves e 973 assintomáticos.

Fez saber, ainda, que 210 infectados estão internados nos diferentes centros de tratamento a nível do país e os restantes observam o isolamento domiciliar.

A Equipa de Saúde Mental e Intervenção Psico-social assistiu, nas últimas 24 horas, 21 pessoas através da Linha de Apoio Psicológico.

1.458 amostras processadas nas últimas 24 horas

Nas últimas 24 horas, foram processadas 1.458 amostras à base de biologia molecular por RT-PCR, dos quais 33 positivas e 1.425 negativas, com uma taxa de positividade de 2.3 por cento.

O cumulativo de amostras recebidas até agora pelo laboratório de biologia molecular por RT-PCR é de 362.440, dos quais 19.829 são positivas e 342.611 negativas, com uma taxa de positividade de 5.5 por cento.

Por outro lado, o responsável contou que, nas últimas 24 horas, não houve alta de pessoas em quarentena institucional. O Centro Integrado de Segurança Pública (CISP) recebeu, no período em referência, 59 chamadas, todas a solicitar informação sobre a Covid-19.

Desde o dia 16 de Janeiro, 24 passageiros provenientes do exterior do país já testaram positivo

O secretário de Estado para a Saúde Pública, Franco Mufinda, fez saber que desde o dia 16 de Janeiro até ontem, 1 de Fevereiro, foram testadas no Aeroporto Internacional 4 de Fevereiro, vindos do exterior 8.784 passageiros, dos quais 2.589 são do sexo feminino e 6.195 do sexo masculino.

Dos 8.784 passageiros, 24 pessoas testaram positivos à Covid-19, sendo seis do sexo feminino e 18 do sexo masculino, com idades entre um e 91 anos, sendo que os mesmos já estão isolados de forma institucional.

No entanto, contou que os referidos casos positivos são provenientes da África do Sul com um, igual número do Congo e França, respectivamente, Mauritânia, Brasil e Moçambique com dois, Alemanha três, Dubai cinco e Portugal sete casos.

Quanto às nacionalidades, fez saber que 11 são cidadãos angolanos, três brasileiros, dois nigerianos, um francês, um sul-africano, um britânico, um congolês, um moçambicano, um costa- marfinense, um mauritaniano e um israelita, respectivamente. No entanto, esclareceu aos passageiros que depois de testarem há uma obrigação de observarem a quarentena.

O isolamento para quem testa positivo e a quarentena domiciliar para quem testa negativo. Por essa razão, recordou que desde a implementação deste processo e o início da alta epidemiológica, três casos já foram confirmados, de pessoas que cumpriram a quarentena domiciliar e testaram positivo. São cidadãos angolanos, dois do sexo masculino e um do feminino, com idades entre 33 e 59 anos. Os mesmos encontram-se isolados a cumprirem o protocolo.