Detidos 14 cidadãos por vandalismo de bens públicos

Detidos 14 cidadãos por vandalismo de bens públicos

O Comando da Polícia Nacional em Luanda deu início, no dia 27 de janeiro, a uma operação denominada “Domínio P”, com o objectivo de desmantelar os grupos de jovens que vandalizam bens públicos, que resultou, inicialmente, na detenção de 14 indivíduos e recuperação de vários bens por eles furtados

No pré-balanço apresentado ontem pelo porta- voz da Polícia Nacional em Luanda, Nestor Goubel, desta operação, que é de carácter permanente, foi possível deter 14 indivíduos que estão ligados ao vandalismo de cabinas eléctricas, postes de iluminação pública, autocarros públicos, condutas de água, carris dos caminhos-de-ferro e locomotivas de comboio.

Os detidos, com idade compreendidas entre os 17 e 43 anos de idade, tinham uma viatura pesada, que também foi apreendida, que servia de apoio na transportação das linhas férreas e travessas.

Foram apreendidos 280 travessas de linha férreas, cinco gradeamentos de PT’s, cinco electrobombas, 12 cantoneiras, três tampas de sarjetas e seis rolos de cabos eléctricos. “O objectivo é esclarecer, desencorajar todos aqueles que (in)directamente participam no crime de vandalismo dos bens públicos. Por isso, foi possível esclarecer o crime de vandalismo praticado no PT da Centralidade do Kilamba, que deixou aquela cidade sem energia”, disse.

As sarjetas têm tido alguma procura, o que propicia o aumento do roubo deste bem público, porque são vendidas por quilo, onde uma tampa pode custar até 15 mil Kz. Assim, a Polícia também está a autuar nas casas de pesagem para desencorajar este tipo de crime (de vandalismo de bens públicos).

Nestor Goubel disse que têm noção de que muitos desses materiais param nos mercados de Luanda, por isso a operação que desenvolvem vai também abranger estes locais, uma vez que o comerciante tem de saber e exigir a proveniência dos produtos que comercializam. Estes, os comerciantes, também serão responsabilizados, segundo o porta-voz.

Os municípios de Luanda e Talatona, no que à vandalização de sarjetas diz respeito, são os mais visados, mas Viana aparece na lista quando o assunto é a vandalização de postes para a retirada de cabos eléctricos, bem como retirada do cobre.

A Polícia reconheceu que tem sido fruto das denúncias que recebem que conseguem esclarecer estes e outros crimes. Por isso, Nestor aproveitou a oportunidade para pedir à população em geral que continue a denunciar estes actos de vandalismo.