Plano da Empregabilidade cria mais de 300 postos de trabalho no Bié

Plano da Empregabilidade cria mais de 300 postos de trabalho no Bié

O Plano de Acção de Promoção da Empregabilidade (PAPE), lançado, ontem, no Bié, criou um total de 362 postos de trabalho naquela província, perfazendo, assim, um total de 1.729 jovens beneficiários em todo o país, segundo a ministra da Administração Pública, Trabalho e Segurança Social, Teresa Dias.

Na província do Bié, no âmbito do referido plano, foram ainda capacitados 138 jovens nas várias especialidades, entregues 29 kits profissionais no âmbito do fomento do auto-emprego bem como a contemplação de 139 microcréditos.

Segundo a ministra, depois de já ter sido lançado nas províncias do Cuando Cubango, Uíge, Moxico, Luanda, Huíla e Namibe, o referido Plano, que é de âmbito nacional, na província do Bié, vai incidir a sua actuação com enfoque nas comunidades para os cidadãos em idade activa e que reúnam os requisitos estabelecidos para cada uma das iniciativas, sendo que a população jovem e as mulheres constituem o epicentro do programa.

Ao todo, frisou, a nível nacional, o plano visa abranger directamente 83 mil e 500 jovens, dos quais se destacam 12 mil jovens capacitados nos domínios do empreendedorismo e gestão de pequenos negócios, 15 mil capacitados em curso de curta duração, 10 mil microcréditos concedidos, 42 mil kits profissionais e 1500 jovens formados no nível 3 e 4 de formação profissional inseridos em programas de estágios profissionais.

“Para além dos beneficiários directos, pretende-se, com a distribuição dos kits profissionais, promover o associativismo com vista a beneficiar, de forma indirecta, cerca de 243 mil cidadãos”, assegurou.

Governador reconhece empenho da Juventude local

Naquela província, numa primeira fase, o Plano beneficiou os munícipes do Cuito e do Chinguar. Contudo, o governador local, Alfredo Pereira, disse que o gesto de lançamento do Plano de Acção de Promoção da Empregabilidade nessas municipalidades foi apenas um “pontapé de saída” que deverá ser replicado noutras localidades, bastando, para o efeito, que os primeiros beneficiários sejam resilientes, responsáveis e cumpridores das responsabilidades assumidas.

De acordo com Pereira Alfredo, o desemprego é um problema que afecta a grande maioria das comunidades do Bié. Mas, frisou, esta situação só será ultrapassada com empenho e resiliência da Juventude local.

“Os jovens do Bié precisavam deste programa para seguirem em frente. Temos uma juventude muito esforçada e que muito precisa do apoio do Governo para desenvolverem as suas actividades”, frisou.

Ainda durante a sua estada na província do Bié, a ministra do Trabalho visitou os serviços províncias da IGT, INSS, INEFOP e, na ocasião, procedeu com o lançamento da primeira pedra para construção do centro de formação profissional do Cuito, a ser construído em 12 meses, na nova centralidade local.