Ministro garante autonomia do INE

Ministro garante autonomia do INE

O Ministro da Economia e Planeamento, Sérgio dos Santos, esclareceu que o Sistema de Estatística Nacional respeita os princípios da autonomia técnica para a elaboração dos dados estatísticos que, segundo o responsável, é uma valência que o Instituto Nacional de Estatística tem

O governante, que falava à imprensa no fim da I Reunião Plenária Ordinária do Conselho Nacional de Estatística, garantiu a autonomia técnica do INE na elaboração do seu trabalho. Entretanto, pediu que não se confundisse independência institucional com autonomia técnica.

“É importante ficar claro que o INE é um instituto público, é do Governo. Os salários dos funcionários do INE são pagos pelo contribuinte, por isso o INE tem de responder ao Governo como qualquer instituto orçamentado”, adiantou.

Na sequência, Sérgio dos Santos afirmou que o INE tem autonomia na escolha dos melhores métodos de trabalho a usar. “Não há ninguém que oriente o INE. Aliás, o INE usa metodologias científicas com padrões internacionais para fazer os estudos e as publicações sobre esta matéria, tem autonomia técnica mas não é independente porque é um órgão do Governo”, assegurou.

Sérgio Santos lembrou que este ano vai-se fazer uma auditoria à qualidade das metodologias usadas pelo INE na colheita dos diversos dados estatísticos e reforçou ainda que o plano anual do Sistema Estatístico Nacional do ano de 2021 assenta fundamentalmente em três eixos principais, nomeadamente, a coordenação estatística, a qualidade e a pertinência da estatística.

A Semana Angolana de Estatística, que decorreu entre os dias 8 e 12 deste mês, na sede do INE, sob o lema: “Angola Rumo à Modernização do Sistema Estatístico Nacional”, onde se traçaram metas para o seu melhoramento.