Novo líder da CASA-CE promete trabalho árduo para revitalizar a coligação

Novo líder da CASA-CE promete trabalho árduo para revitalizar a coligação

Diante dos enormes desafios que se impõem ao longo da sua liderança, Manuel Fernandes prometeu trabalhar incansavelmente para a devida concretização dos objectivos que ambiciona para a CASA-CE, a curto, médio e a longo prazo

O novo presidente da Convergência Ampla para a Salvação de Angola (CASA- CE), Manuel Fernandes disse, ontem, em Luanda, que vai ao longo do seu mandato apostar continuamente na revitalização da coligação e retomar a sua dinâmica identitária.

No seu discurso de tomada de posse como novo líder da CASA-CE, Manuel Fernandes disse que a CASA-CE tem ainda o seu espaço político consolidado e quadros capazes para conceber ideias e levar a mensagem da mudança aos angolanos, quer nas zonas urbanas ou suburbanas. Afirmou que, independentemente de algumas situações menos boas que tiveram que enfrentar nos últimos tempos, a coligação continua firme, unida e coesa, com pernas fortes para continuar a ser uma grande defensora das causas da vida e do bem-estar do povo angolano.

Garantiu que vai trabalhar para cumprir com a sua responsabilidade, a de trazer uma nova dinâmica de trabalho, aquela que todos os militantes sempre reclamaram ao longo do tempo que a CASA-CE esteve inerte.

Primar pelo diálogo permanente como o caminho para a resolução dos problemas, apostar na capacitação dos novos militantes e manter uma relação de proximidade com os cidadãos e com as estruturas de base serão os principais aspectos que irão caracterizar a sua liderança.

O político reconheceu que terá grandes desafios pela frente e disse contar com o apoio e a solidariedade de todos para a concretização desses desafios. “Aceitei o desafio por dever de missão.

Estou convencido de que juntos é possível reerguermos a CASA-CE, a fim de transpor barreiras, contornar obstáculos e devolver o sonho de milhares de angolanos que acreditam na CASA-CE como a terceira maior força”, disse.

Dentro de dias, a coligação fará a abertura do seu ano político na província do Huambo, onde serão apresentadas as suas principais linhas de acção face aos desafios traçados para o presente ano político. Ausência de “Miau” na tomada de posse.

Relativamente à ausência do presidente cessante André Mendes de Carvalho “Miau” na cerimónia da sua tomada de posse, Manuel Fernandes afirmou que algumas questões do ponto de vista familiar e de saúde não lhe permitiram estar presente na referida cerimónia.

Regresso de Abel Chivukuvuku

Questionado sobre o possível regresso de Abel Chivukuvuku à coligação, Manuel Fernandes afirmou que “essa questão já foi abordada a nível do Colégio Presidencial e o Bloco Democrático confirmou ter havido, de facto, uma conversação com Chivukuvuku”, alegando que a decisão final vai ser do Congresso do Bloco Democrático. “Com o nosso trabalho e não com as agendas individuais. Trata-se de uma situação que deverá ser abordada em outras ocasiões com o Conselho Presidencial”, salientou.