Putin acusa Ocidente de utilizar Navalny para contrariar “política de contenção”

Putin acusa Ocidente de utilizar Navalny para contrariar “política de contenção”

“Utilizam essa personagem (Navalny) justamente agora, num momento em que todos os países do mundo, inclusive o nosso, vivem num contexto de esgotamento, frustração e insatisfação”, queixou-se Putin.

O Presidente russo, Vladimir Putin, acusou ontem Domingo os países ocidentais de utilizarem o opositor Alexeï Navalny, preso, como parte de uma “política de contenção” da Rússia.

“Os nossos opositores ou os nossos potenciais adversários (…) confiaram sempre em pessoas ambiciosas e sedentas de poder, sempre os usaram”, disse o Presidente russo numa entrevista realizada na Quarta-feira, mas só divulgada ontem pelo canal público Rossiya 24.

Referindo-se às recentes manifestações após o regresso e, posterior prisão, de Navalny, o Presidente russo considerou que os protestos também foram alimentados a partir do estrangeiro no contexto da pandemia do novo Coronavírus.

“Utilizam essa personagem (Navalny) justamente agora, num momento em que todos os países do mundo, inclusive o nosso, vivem num contexto de esgotamento, frustração e insatisfação” por causa “das condições em que vivem e da diminuição dos rendimentos”, acrescentou.

Para Putin, “os inúmeros sucessos” da Rússia, no plano militar, mas também na gestão da pandemia da covid-19, aliada ainda à concepção da vacina Sputnik V, “estão a começar a irritar” os adversários de Moscovo.

“Quanto mais fortes nos tornamos, mais forte é a política de contenção”, argumentou. Feroz opositor do Kremlin, Navalny voltou à Rússia em meados de Janeiro após vários meses de convalescença na Alemanha, onde recuperou de um envenenamento pelo qual acusa o Kremlin e os serviços secretos russos (FSB).