Presidente de partido moçambicano terá alta médica “a qualquer altura”

Presidente de partido moçambicano terá alta médica “a qualquer altura”

O presidente do Movimento Democrático de Moçambique e autarca da Beira, Daviz Simango, transferido para a África do Sul, no Sábado, devido a um problema de saúde súbito, poderá ter alta médica “a qualquer altura”, disse à Lusa fonte partidária

“Falei há pouco com a família e as notícias são excelentes, o presidente está com um quadro clínico promissor e poderá ter alta a qualquer altura”, adiantou o portavoz do Movimento Democrático de Moçambique (MDM), Sande Carmona.

Carmona avançou que todos os órgãos do partido e o conselho municipal da Beira estão a funcionar normalmente e está fora de hipótese pensar em substituir o líder. “Está tudo a funcionar dentro dos carris e está fora de hipótese pensar em substituir o presidente, porque ele vai retomar a sua vida normal a qualquer altura”, acrescentou o porta-voz do MDM.

O presidente do terceiro partido moçambicano e autarca da Beira, centro do país, foi transferido, na noite de Sábado, para uma unidade de saúde da África do Sul, devido a um problema de saúde súbito, disse à Lusa o chefe da bancada do MDM na Assembleia da República e irmão do político Lutero Simango.

Daviz Simango tem “um quadro clínico estável”, acrescentou Lutero Simango, sem especificar a causa do problema. A transferência aconteceu no Sábado pelas 21:00 locais da cidade da Beira para a África do Sul.

O autarca e candidato a Presidente da República nas últimas eleições estava a gozar uma semana de férias, por não as ter podido tirar em Janeiro, devido às intempéries que assolaram a cidade da Beira.

Fonte familiar disse à Lusa que a esposa de Simango fez um teste à Covid-19 com resultado positivo na última semana.