Carta do leitor: Vandalismo de bens públicos

Carta do leitor: Vandalismo de bens públicos

Prezado coordenador do jornal OPAÍS, é pela primeira vez que escrevo para a rubrica “Carta do Leitor”, pelo que agradeço a oportunidade.

Indo concretamente ao tema, é com bastante indignação que tenho observado o silêncio absoluto dos nossos políticos da oposição, perante a onda generalizada do fenómeno vandalismo que já provocou prejuízos incalculáveis ao pais de todos nós.

É senso comum de que a vandalização e roubo do bem comum é perpetrado maioritariamente pela juventude, que, por sinal, constitui a maior franja da população angolana. Se, por um lado, esta mesma juventude tem os seus Heróis ou ídolos, logo é dever destes explicarem aos seus discípulos ou seguidores a pautarem por uma conduta responsável e de preservação da “ coisa alheia”, do bem público.

É pouco provável que acções do género resultem do trabalho dos escuteiros, da juventude religiosa e muito menos daquela juventude que escrutinou o programa do seu governo. Por outro lado,é opinião generalizada de que a maioria da juventude não se revê nos programas do governo da situação, portanto, não é difícil fazer a equação. Então, a pergunta que se coloca é : os heróis compactuam com o comportamento dos seus seguidores? Por isso, urge a necessidade da realização de uma conferência nacional na qual o CNJ, sociedade civil e partidos políticos abordem sobre o assunto, já que os seguidores obedecem, respeitam e cumprem ensinamentos dos seus heróis.

Todos criticamos que o governo não está a fazer ou não fez nada em 45 anos, mas o pouco esforço que tem vindo a ser empreendido, é destruído num ápice, sem dó nem piedade e, às vezes, a destruição ocorre antes mesmo de o equipamento entrar em funcionamento, como por exemplo os postos de iluminação pública.

Por último, gostaria de dizer que já é tempo de as autoridades angolanas começarem a punir, de forma exemplar, cidadãos que incitam a desobediência, desrespeito,calúnia e difamação às autoridades e instituições do Estado. É frequente nas redes sociais jovens impunes ofenderem as autoridades, sob olhar impávido da sociedade, principalmente se os ofendidos(vítimas) são parte do partido que governa, interpretam que é liberdade de expressão, no sentido contrário já é intolerância política.

O respeito é transversal e todos o merecem. Pois é, ultimamente temos constatado exemplos vindos dos chamados Países democráticos não tolerarem, testemunhamos centenas de presos nos Estados Unidos; o bloguer Russo Navalny (tratado pelo ocidente como opositor do Putin) está preso por ofender um veterano da 2.ª guerra mundial, se este não é exemplo feliz para alguns, o bloguer Espanhol Pablo Hasél foi levado pela polícia catalã “ Los Mossos” e condenado a 10 meses por ofender o Rei.

Parabéns a todos que participaram da campanha de limpeza da cidade de Luanda, ainda prevalece o espirito de voluntariado (Sábado vermelho), quem tentou sabotar a iniciativa da governadora de Luanda não conseguiu. O surto não tem cor partidária. Viva Angola, Unidos venceremos!