Donald Trump ataca o líder republicano no Senado Mitch McConnell

Donald Trump ataca o líder republicano no Senado Mitch McConnell

O ex-presidente americano insurge-se contra o colega Mitch McConnell, dizendo que “o Partido Republicano nunca mais poderá ser respeitado ou forte com ‘líderes’ políticos como o senador Mitch McConnell ao leme”, revela o Jornal de Notícias

Donald Trump atacou, na Terça- feira, Mitch McConnell dizendo que o líder republicano do Senado “não tem o que é preciso, nem nunca terá” para cumprir o cargo que ocupa. As palavras expuseram uma clara divisão sobre o futuro republicano.

O Senado dos EUA absolveu, no Sábado, Donald Trump da acusação de “incitação à insurreição” no ataque ao Capitólio, 6 de Janeiro. McConnell, colega republicano de Trump e habitual defensor das ideias do anterior inquilino da Casa Branca, embora tenha votado pela absolvição, alegando que o Senado não tinha capacidade para julgar um ex-presidente para a sua destituição, minutos após a votação, afirmou que “Donald Trump foi moralmente responsável pelo ataque”.

No plenário do Senado, o porta- voz dos republicanos no Senado disse ainda que Donald Trump devia responder por litígios criminais e civis porque “ainda era responsável por tudo o que estava a acontecer enquanto estava no cargo”.

Donald Trump, num comunicado divulgado Terça-feira, disse que “a dedicação de Mitch Mc- Connell às políticas do ‘status quo’, juntamente com a falta de discernimento político, sabedoria, jeito e personalidade, tem feito com que passasse rapidamente de líder da maioria para líder da minoria, e só vai piorar”. Além disso, diz lamentar o apoio prestado a McConnell junto do “grande povo do Kentucky” nas eleições de 2020. “Sem o meu apoio, teria perdido e muito”, relembra.

“Eu e o presidente Trump tornaremos a ‘América Grande Outra Vez’ “, afirmou McConnell num comício em Kentucky, em 2019. Os dois republicanos trabalharam lado a lado durante a presidência de Trump. Contudo, o afastamento deu-se no seguimento do ataque ao Capitólio que provocou cinco mortes. “As pessoas que invadiram o edifício acreditavam estar a agir em nome do Presidente”, explica McConnell.

A 13 de Janeiro, Donald Trump tornou-se no primeiro presidente da história dos Estados Unidos a ser alvo de dois processos de ‘destituição’. Contudo, de acordo com uma sondagem do Morning Consult/ Politico publicada Terça-feira, o Partido Republicano continua a apoiá-lo, com 54% dos inquiridos a favor da recandidatura de Donald Trump à Casa Branca, em 2024.