Editorial: Angola e o FIDA

Editorial: Angola e o FIDA

Convidado de honra da cerimónia de abertura da 44.ª sessão do Conselho de Governadores do Fundo Internacional de desenvolvimento Agrícola (FIDA), que teve lugar ontem, o Presidente da República, João Lourenço, voltou a destacar os passos que o país tem dado no sentido de se diversificar a economia e transformar a área rural num espaço cada vez melhor para se viver.

Mais uma vez o estadista realçou que o foco do governo angolano tem sido “instaurar e consolidar em Angola uma sociedade que respeite o primado da lei e também na construção de uma economia de mercado que seja capaz de diversificar, efectivamente, a economia nacional e alterar em termos definitivos a estrutura económica de Angola, hoje muito dependente dos recursos do sector petrolífero”.

Entretanto, durante o discurso do Chefe de Estado, ficou patente que só combatendo algumas práticas não saudáveis é que o país poderá atingir os objectivos preconizados. Alguns passos ousados, no sentido de reverter o famoso lobby da importação, já começam a dar os seus frutos, abrindo caminho para “melhorar o ambiente de negócios e assim atrair cada vez mais investimento privado directo, nacional e estrangeiro”.