1.º de Agosto com a calculadora na mão

1.º de Agosto com a calculadora na mão

O clube militar foi ontem humilhado pelo Namungo FC da Tanzânia, ao perder por 6-2, no Azam Complex Stadium, em desafio referente à primeira mão da última eliminatória de acesso à fase de grupos da Taça Nelson Mandela. O 1.º de Agosto fica, assim, agarrado à calculadora, sendo que, para garantir o passe à outra fase, terá de marcar 4 golos e sem sofrer

O 1.º de Agosto comprometeu, ontem, o apuramento à fase de grupos da Taça Nelson Mandela. No “tapete verde” do Azam Complex Stadium, na cidade de Dar-es-Salaam, o representante angolano foi “humilhado” pelo Namungo FC da Tanzânia, por seis bolas a duas, resultado que coloca o clube militar com um pé fora da competição.

Privados de Dani Massunguna, Bobó, Mário e Mabululu (por suspeitas da Covid-19), os militares entraram a mandar no jogo encostando o adversário até ao seu último reduto e, aos 12 minutos, o avançado Bryan Moya colocou o clube rubro-negro na frente do marcador, depois de uma jogada de insistência.

Após ter ficado em desvantagem, o conjunto tanzaniano não baixou os braços. Pelo contrário, reorganizou- se defensivamente e colocou mais homens na frente de ataque com jogadas que criavam muitas dores de cabeça aos defesas do 1.º de Agosto. Certo é que, depois de ter marcado o golo, os militares perderam a concentração e quem tirou proveito disto foi o adversário.

Em virtude disso, aos 30 minutos, Edward Manyama restabeleceu a igualdade no marcador.

O treinador-adjunto do 1.º de Agosto, Filipe Nzanza, pedia aos seus jogadores para que fossem mais agressivos na pressão sobre o jogador com a bola.

Mas os atletas não conseguiam traduzir em campo as orientações de Filipe Nzanza e, já perto de o árbitro mandar todo o mundo para os balneários, Sixtus Sabilo deu a “cambalhota” no marcador. No reatamento, os militares entraram tal como na primeira parte.

Numa jogada de se tirar o chapéu, Mongo, aos 52 minutos, colocou tudo igual no marcador, facto que deixou satisfeita a equipa técnica militar.

Apesar do golo, o representante angolano não conseguia fechar os espaços nas entrelinhas. O conjunto tanzaniano entrava com muita facilidade e, aos 58 minutos, Laurent Lusajo voltou a colocar o Namungo FC em vantagem. Depois da reviravolta no placard, o clube da tanzânia não mais deu hipótese à equipa rubro-negra.

Aos 62 minutos, fruto da passividade dos defesas do 1.º de Agosto, Sixtus Sabilo, com muita competência, voltou a fazer o gosto ao pé.

O clube angolano não reagia face ao sufoco dos tanzanianos e, aos 67 minutos, Kwizera ampliou a vantagem. Já perto dos 80, Stephen Sey selou a vitória do Namungo FC.

Aos 81 minutos, o 1.º de Agosto beneficiou de uma grande penalidade, mas Atouba falhou por falta de confiança. Os rubro-negros ficam, assim, agarrados à calculadora, sendo que, para garantirem o passe à fase de grupos da Taça da Confederação, terão de vencer o jogo da segunda mão e sem sofrer golos. O encontro da segunda mão disputa-se na próxima Quarta- feira, 24, sendo que os militares terão de vencer por 4 bolas, sem sofrer.