Setenta mil famílias beneficiarão de energia eléctrica em Luanda até Abril

Setenta mil famílias beneficiarão de energia eléctrica em Luanda até Abril

A subestação de Viana está a beneficiar de um trabalho de repotenciação, ampliação e modernização, de modo que a capacidade instalada, de 720 MVA, passa para mil e 410 MVA. Os trabalhos decorrem a bom ritmo e têm o término previsto para o mês de Abril do ano em curso. O aumento da capacidade beneficiará mais de 70 mil famílias, afirmou o director de operação do sistema eléctrico, Paulo Filho

Para apurar a razão dos cortes que a província de Luanda tem vindo a registar, o ministro da Energia e Águas, João Baptista Borges, visitou a subestação de Viana, acompanhado da governadora de Luanda, Joana Lina.

Na ocasião, o director de operação do sistema eléctrico, Paulo Filho, explicou que a subestação de Viana, onde está em curso o trabalho de repotenciação, ampliação e modernização da subestação que tem uma capacidade instalada de 720 MVA. Depois de concluído, terá mais equipamentos redundantes e poderá abastecer mais energia eléctrica à população, uma vez que mais de 70 mil famílias poderão beneficiar do novo projecto.

Paulo Filho explicou que o sistema eléctrico da cidade de Luanda está interligado, sendo o de Viana um dos mais importantes, por ligar cinco subestações da rede de transporte. Os cortes de fornecimento de energia eléctrica que se registaram no final de semana deveram-se aos trabalhos que estão a ser desenvolvidos na referida subestação.

Até à conclusão da obra, a cidade de Luanda registará mais três cortes, sendo que, no mês de Março, serão efectuados dois, um no dia 14 e outro no dia 28, e o terceiro acontece no dia 18 de Abril.

Cortes eléctricos levam ministro a Viana

Entretanto, o ministro da Energia e Águas, João Baptista Borges, explicou que, em função dos cortes de energia que a cidade tem vindo a registar, procedeu, ontem, à visita à subestação de Viana com a governadora, sendo que a instalação eléctrica de alta potência está entre Capanda, Cambambe, Laúca e a cidade capital do país, local onde passa grande parte da potência que abastece Luanda.

Explicou que a subestação de Viana está, actualmente, com subcarga nos transformadores e, por este motivo, o projecto, que se encontra em fase de conclusão, está a ampliar a capacidade de transformação para duas vezes mais, no sentido de cobrir as necessidades da província de Luanda, e será possível ter reservas para o futuro. O ministro lamentou as dificuldades encontradas para a implementação das torres, sendo que a sua instituição está, actualmente, a construir três novas linhas para a província de Luanda e o local onde serão erguidas está a ser reclamado pelos supostos proprietários.

GPL garante apoio

Em função dos constrangimento que os técnicos da Rede Nacional de Transporte de electricidade (RNT) enfrentam para a conclusão do projecto, a governadora da província de Luanda, Joana Lina, visitou a subestação de Viana.

Concluiu que os projectos têm prazos definidos para a conclusão e estão envolvidos elevadas somas de dinheiro, com objectivo de melhorar o fornecimento da energia eléctrica na cidade. Pelo facto, garantiu, o Governo Provincial de Luanda vai trabalhar directamente com o Ministério da Energia e Águas, de modo que venham a encontrar as melhores vias de resolução do problema e manter o interesse público acima de qualquer benefício particular.