Agricultura com proposta para montagem de unidades de irrigação

Agricultura com proposta para montagem de unidades de irrigação

A medida é vista como alternativa para contrapor os efeitos constantes da seca no país, cujas consequências já comprometem a primeira época da campanha agrícola no país 2020/2021

O secretário de Estado da Agricultura e Pecuária, João da Cunha, garantiu esta semana que o sector tem propostas avançadas do empresariado privado para a instalação em Angola de unidades de montagem de moto-bombas e outras unidades de irrigação dos campos, como gotejamento micro-aspersão.

“A breve trecho, o sector da agricultura vai apresentar algumas novidades neste sentido”, garantiu o secretário de Estado que se desdobra em diversas visitas de constatação do sector na província do Huambo.

A medida surge em resposta à seca que se verifica em várias províncias, com realce para a região centro-sul do país cujos efeitos já comprometem a primeira época da campanha agrícola 2020/2021.

João da Cunha disse, entretanto, que enquanto as unidades de irrigação não são montadas, o recurso tem sido a importação dos meios de pequeno e médio porte que tem servido para acudir os efeitos da seca em algumas localidades.

Enquanto não existir disponibilidade de meios de irrigação para todos, o responsável aconselha os camponeses a valorizarem as zonas baixas próximas as margens dos rios para a prática da agricultura.

“É necessário tirar proveito destas zonas baixas para se tirar alguma produção agrícola e mitigarmos o problema da fome que poderá ocorrer caso não se adoptem essas medidas imediatas para se resolver o problema da seca”, disse.

Em Outubro do ano passado, o país inaugurou a primeira linha de montagem de tractores agrícolas com capacidade para produzir três mil unidades por ano. A fábrica de montagem de tractores resulta de um acordo entre Angola e os Emirados Árabes Unidos (EAU), num investimento de 65 milhões de dólares.

Por outro lado, João da Cunha propõe aos agricultores a adopção de culturas de ciclo curto e com capacidade de resistência à seca, tendo citado como alternativa a mandioca e a batata- doce, para que nos próximos três meses não haja efeitos mais críticos sobre a população.

Escolas de Campo

O governo, de acordo com o interlocutor, está a apostar em vários projectos de melhoria de extensão rural, sendo uma delas as Escolas do Campo como a que João Cunha visitou no Huambo.

A massificação de culturas como a de cereais e legumes é outra alternativa que o sector aconselha, tal como a importação de adubos com preços mais atractivos fazem parte dos projectos que o ministério de tutela quer ver desenvolvidos.

O apoio à agricultura familiar, para o aumento dos níveis de produção e apoio ao sector empresarial, faz igualmente parte da estratégia do Governo.