1.º de Agosto diz “adeus” à Taça Nelson Mandela

1.º de Agosto diz “adeus” à Taça Nelson Mandela

Os militares venceram, ontem, o Namungo FC da Tanzânia, por 3-1, mas não conseguiram garantir a qualificação à fase de grupos da Taça Nelson Mandela, porque perderam na primeira mão, por seis bolas a duas. O clube militar precisava de marcar quatro, mas sem sofrer, o que acabou por não acontecer

A vitória de ontem por três bolas a uma diante do Namungo FC da Tanzânia, no Azam Complex Stadium, na cidade de Dar-es- Salaam, não serviu para que o 1.º de Agosto passasse à fase de grupos da Taça Nelson Mandela.

O representante angolano entrou com nervos à flor da pele, o que acabou por beneficiar o adversário que nem sequer precisou de correr muito para garantir o passe à fase de grupos da segunda competição mais importante da Confederação Africana de Futebol (CAF).

O conjunto tanzaniano apresentou- se muito organizado nas saídas de bola para as zonas ofensivas e o clube militar não conseguiu, mais uma vez, corrigir os erros do passado. Em virtude disso, viu-se em desvantagem logo aos seis minutos da primeira parte. Numa jogada de belo efeito, Sixtus Sabilo deu alegria aos adeptos numa jogada em que a defesa do 1.º de Agosto fica mal na fotografia.

Depois de ter ficado em desvantagem, o treinador-adjunto do 1.º de Agosto, Filipe Nzanza, fez algumas mexidas no sistema táctico da equipa, o que acabou por dar frutos. Aos vinte e sete minutos, o avançado hondurenho Bryan Moya restabeleceu a igualdade no marcador na marcação de uma grande penalidade executada com competência. Após o golo, o Namungo FC tentou dar a “cambalhota” no marcador, mas sem sucesso, uma vez que o 1.º de Agosto já não dava espaço para manobras.

O clube central das Forças Armadas Angolanas pressionava com muita intensidade e isso frustrava a equipa técnica do Namungo. No reatamento, o 1.º de Agosto foi em busca do segundo golo e conseguiu por intermedio do suspeito do costume Bryan Moya, aos cinquenta e dois minutos.

Apesar das orientações que o treinador Hemed Suleiman conseguiu passar no período do intervalo, os jogadores entraram sem atitude e pagaram caro por isto. Por conta disto, Jó, aos 90+3, selou a vitória do representante angolano que defraudou os amantes da modalidade do país, uma vez que não correspondeu às expectativas.

A vitória acaba por ser amarga, uma vez que o 1.º de Agosto precisava de vencer por quatro bolas e sem sofrer, o que não aconteceu.

Recorde-se que, na primeira mão, a equipa rubro-negra foi goleada por seis bolas a duas. Assim, no cômputo das duas mãos, o 1º de Agosto perdeu por (7-5). Naquele encontro, os militares voltaram a não contar com os préstimos de Mabululu, Mário, Neblú, Bobó e Bonifácio, por estarem infectados pelo novo Coronavírus de acordo com as autoridades sanitárias da Tanzânia. Posto isto, o 1.º de Agosto regressa ao território nacional nas próximas horas.