Editorial: Diplomacia ambiental

Editorial: Diplomacia ambiental

O Dia Africano do Ambiente, a comemorar- se amanhã, 3 de Março, terá como base a experiência dos mangais que vem sendo desenvolvida pela organização Otchiva que, nos últimos tempos, se tem batido pela recuperação e preservação destas espécies.

Formado inicialmente por um grupo de jovens ambientalistas, com Fernanda Renné à cabeça, a iniciativa vai ganhando cada vez mais adeptos no país, com a atenção de jornalistas, estudantes, militares e polícias, demonstrando a mudança de mentalidade que se pretende quanto à preservação destas plantas imprescindíveis para a sobrevivência do próprio homem.

Foi este trabalho que acabou convencendo o Executivo angolano, através do Vice-Presidente Bornito de Sousa, penetrando nos corredores da União Africana, onde amanhã será um dos destaques. A expectativa é que esta experiência, implementada no Lobito, em Benguela, Nzeto, no Zaire, e Luanda, ganhe espaço também noutras áreas do próprio continente africano.