Ministro reconhece contributo da comunicação social na divulgação das potencialidades do país

Ministro reconhece contributo da comunicação social na divulgação das potencialidades do país

Para Manuel Homem, os jornalistas são parceiros do Executivo na divulgação da imagem do país, por isso reconheceu ser de todo importante dar o apoio devido ao grupo de trinta profissionais da comunicação social que, desde ontem, começaram a andar em oito províncias para radiografar o país

O ministro das Telecomunicações, Tecnologias de Informação e Comunicação Social, Manuel Homem, reconheceu, ontem, em Luanda, o papel da comunicação social na divulgação das potencialidades do país nos mais variados sectores de actividade.

O ministro, que falava durante a partida da caravana de jornalistas do projecto “Andar o País”, disse que os jornalistas são parceiros do Executivo na divulgação da imagem do país, por isso reconheceu ser de todo importante dar o apoio devido ao grupo de 30 profissionais da comunicação social que, desde ontem, começaram a andar em oito províncias do país para tomarem contacto com as potencialidades agrícolas nos domínios familiar e industrial.

Pelo facto, o ministro valorizou o projecto “Andar Angola”, de iniciativa privada e que vai, durante cerca de 30 dias, dar a conhecer as acções em curso no âmbito da agricultura familiar e industrial das oito províncias.

Para Manuel Homem, o projecto, que já vai na sua terceira edição, merecerá o apoio institucional do seu ministério para garantir que os jornalistas envolvidos neste roteiro possam radiografar de facto as reais potencialidades do país no domínio agrícola.

No entanto, durante 30 dias, jornalistas de vários órgãos nacionais participam, desde ontem, de uma digressão de mais de quatro mil quilómetros a reportar as potencialidades agrícolas em oito províncias, para o processo de diversificação da economia angolana, numa iniciativa da rádio Luanda Antena Comercial (LAC).

Por seu lado, o coordenador do projecto, Mateus Gonçalves, garantiu estarem criadas todas as condições para que, efectivamente, os jornalistas possam, da melhor forma, radiografar o país real, numa perspectiva de parceiros na divulgação das potencialidades do país.

De acordo com o responsável, no âmbito do exercício pleno da actividade jornalista, os profissionais estão à vontade para tirarem as ilações que pretenderem durante as deslocações a serem feitas durante 30 dias nas localidades e projectos agrícolas por onde o grupo vai passar.