Associações provinciais adiam resolução do “caso FAF”

Associações provinciais adiam resolução do “caso FAF”

O arranque da resolução do “imbróglio” na Federação que estava marcado, inicialmente, para hoje, Quinta-feira, em que as associações provinciais de futebol (APF) deviam dar entrada de uma carta à presidência da mesa da assembleia-geral da FAF, a solicitar a convocação de uma assembleia-geral extraordinária, foi adiada para a próxima semana.

Segundo apurou este jornal de uma fonte ligada ao processo, os filiados do órgão que rege o futebol nacional, que entenderam que a FAF não deve continuar entregue à sua sorte, estão a tratar alguns pontos do documento.

No princípio desta semana, o secretário-geral da APF de Luanda, Osvaldo Marcelino, fez questão de alertar que, na assembleia-geral extraordinária que será solicitada, os associados vão decidir se Artur de Almeida e Silva deverá continuar na presidência da FAF ou se terá de ser necessária a criação de uma comissão de gestão.

“Reunimos, no caso nove associações, no passado Sábado, via “zoom”. Debatemos o momento actual da nossa Federação. Os filiados foram unânimes em dizer que se deve convocar uma assembleia-geral extraordinária. Assim, daremos entrada de uma carta nos próximos dias”, disse Osvaldo Marcelino.

Irregularidades impedem “King” Artur

Em Janeiro, o Tribunal Provincial de Luanda considerou procedente a providência cautelar intentada pelo candidato Norberto de Castro, razão pela qual Artur de Almeida Silva foi impedido de tomar posse no dia 20 de Novembro, uma vez que houve irregularidades durante o processo eleitoral.

Além das irregularidades na comissão eleitoral, Norberto de Castro acredita que Artur de Almeida e Silva terá usado as verbas atribuídas pela FIFA para fins de campanha eleitoral.