Mais de 5 mil produtores dedicam-se à produção de cereais no país

Mais de 5 mil produtores dedicam-se à produção de cereais no país

A produção de cereais lidera a lista de inscritos no portal de produção nacional com 5 mil 664 produtores envolvidos, distribuídos em diversos pontos do país

O secretário de Estado para o Planeamento, Milton Reis, que falava durante briefing do Ministério da Economia e Planeamento, avançou que a produção de cereais está na linha da frente com 5 mil 664 produtores, enquanto as leguminosas e oleaginosas contam com 4 mil 495 camponeses.

A produção de raízes e tubérculos conta com 4 mil 437 produtores registados na plataforma, já as frutas com mil 425, indústria alimentar 560, agricultura diversa 438, sector das pescas 421, turismo 151, apicultura 56, salinicultura 30, indústria têxtil vestuário e calçados 18, indústria de vidro igual quantidade, indústria de higiene e limpeza 34, recursos naturais 95.

“De 2020 a 2021, o portal de produção nacional conta com 9 mil 179 produtores registados, mais 310 comparativamente à semana passada e continuam a decorrer as inscrições no portal”, explicou.

A principal meta é atingir a cifra de 10 mil produtores até Dezembro, estando a faltar perto de 500 produtores para atingir tal objectivo que poderá acontecer ainda no mês de Março. No que diz respeito aos produtos prioritários, o responsável referiu que se destacam a cultura do milho com 5 mil 361 produtores inscritos, produção de feijão com 4 mil 146, cultura da banana com 114, soja de 10 mil produtores até Dezembro, estando a faltar perto de 500 produtores para atingir tal objectivo que poderá acontecer ainda no mês de Março.

No que diz respeito aos produtos prioritários, o responsável referiu que se destacam a cultura do milho com 5 mil 361 produtores inscritos, produção de feijão com 4 mil 146, cultura da banana com 114, soja com 665, citrinos com 495, cana de açucar com 269, arroz 233, tilápia 221, café 157, ovos 127, abacate116, palmeira de dendém 31, algodão 3.

Segundo o responsável, a nível das províncias, a Huíla conta com mil 534 produtores registados no portal, enquanto o Bié mil 516, Huambo mil 503, Malanje mil e 53, Cunene 739, Luanda 634, Lunda- Sul 485, Benguela 439, Cuanza- Norte 292, Bengo 242, Cuanza-Sul 220, Zaire 198, Cabinda 188, Uije 174, Namibe 165, Lunda-Norte 132, Moxico 106 e Cuando Cubango 98.

Em relação ao acesso ao mercado interno, Milton Reis disse que decorre o levantamento sobre a produção nacional, com realce aos produtores registados na plataforma e os produtos prioritários.

Até 2022, espera-se a formalização de 2 mil micro-empreendedores, sendo que, em 2020, aconteceu a inserção no portal de 250 microempreendedores. Desde o início do ano, foram inseridos 253 microempreendedores, perfazendo um total de 603 empreendedores que beneficiam de diversos incentivos do Executivo.

Produção de cereais em alta nos últimos anos

Segundo dados disponíveis, em 2019, a produção de cereais no país aumentou, nos últimos dois anos, de dois milhões, 878 mil e seis, para dois milhões, 902 mil e 643 toneladas, fruto das políticas do Executivo no sector da Agricultura.

Além dos cereais, registou-se também um incremento na produção de raízes e tubérculos, que passou de 10 milhões, 876 e 857 toneladas, em 2017, para 11 milhões, 136 e 827 toneladas em 2018.

No domínio da fruticultura houve um avanço de cinco milhões, 211 mil e 593, em 2017, para cinco milhões, 314 mil e 860 toneladas em 2018. O país gasta mensalmente 26 milhões USD na importação de 15 mil toneladas de arroz de países diversos.