Últimas 24 horas sem mortes por Covid-19, mas com 41 casos e 99 recuperações registadas

Últimas 24 horas sem mortes por Covid-19, mas com 41 casos e 99 recuperações registadas

O secretário de estado para a Saúde Pública, Franco Mufinda, anunciou, ontem, em Luanda, a infecção de 41 novos casos de Covid-19, nenhuma morte nas últimas 24 horas e 99 pessoas recuperadas. Dos infectados constam 35 da província de Luanda, três de Benguela, dois do Uíge e um de Cabinda, totalizando 20.923 casos positivos de Covid-19, com 510 óbitos e 19.509 recuperados

Franco Mufinda, que falava na habitual actualização diária do balanço sobre a situação epidemiológica no país, no CIAM, informou que foram confirmados, nas últimas 24 horas, 41 novos casos de Covid-19, dos quais 29 do sexo masculino e 12 do género feminino, com idades compreendidas entre um mês de vida e 64 anos.

Entre os infectados constam 42 da província de Luanda, três do Zaire, um do Cuando Cubango, igual número de Benguela. Nas últimas 24 horas, não houve registo de caso de morte por Covid-19. Entretanto, conseguiram recuperar 99 pessoas, com idades entre um e 82 anos, das quais 89 da província de Luanda, cinco da Huíla, três do Namibe, um do Bié, igual número de Malanje.

Com a alteração dos dados, o país passa a contabilizar 20.923 casos positivos de Covid-19, com 510 óbitos, 19.509 recuperados e 904 casos activos. Dos activos, um está em estado crítico com ventilação mecânica invasiva, 11 estão em estado grave, 24 moderados, 22 com sintomas leves e 846 assintomáticos. Fez saber, ainda, que 58 infectados estão internados nos diferentes centros de tratamento a nível do país e os restantes observam o isolamento domiciliar.

1.507 amostras processadas nas últimas 24 horas

Nas últimas 24 horas, foram processadas 1.507 amostras à base de biologia molecular por RT-PCR, das quais 41 positivas e 1.466 negativas, com uma taxa de positividade de 2.7 por cento.

O total de amostras recebidas até agora pelo laboratório de biologia molecular por RT-PCR é de 397.906 das quais 20.923 são positivas e 376.983 negativas, com uma taxa de positividade de 5.3 por cento.

Por outro lado, o responsável contou que, nas últimas 24 horas, seis pessoas receberam alta de quarentena institucional, sendo quatro na província da Huíla e duas em Benguela.

O Centro Integrado de Segurança Pública (CISP) recebeu, no período em referência, 38 chamadas, todas a solicitar informação sobre a Covid-19.

Sobe para 47 o número de passageiros provenientes do exterior do país que já testaram positivo no Aeroporto 4 de Fevereiro

Franco Mufinda disse que, desde o dia 16 de Janeiro até ontem, foram testadas no Aeroporto Internacional 4 de Fevereiro, vindos do exterior, 16.199 passageiros. Destes, 4.337 são do sexo feminino e 11.862 do masculino.

Entretanto, contou que 47 passageiros, após a testagem, deram positivo à base do antigénio, sendo 16 do sexo feminino e 31 do sexo masculino, com idades que variam entre um e 91 anos.

Quanto às nacionalidades, realçou que 18 são cidadãos angolanos, quatro tanzanianos, três brasileiras e somalianas, duas nigerianas, mauritaniana e guineense, uma francesa, sulafricana, britânica, congolesa, moçambicana, israelita, costamarfinense, santomense, maliana, indiana, etíope, queniana e ucraniana, respectivamente.

No entanto, explicou que, dos 47 viajantes que testaram positivo ao chegar ao país e estiveram em isolamento institucional, 38 já tiveram a sua alta epidemiológica, depois de obterem os dois testes negativos à base do RT-PCR.

Por outro lado, disse que não houve alteração entre o número de passageiros provenientes do exterior do país que testaram negativo e cumprem com a quarentena domiciliar, dos quais nove casos já foram confirmados de Covid-19.

Plano de vacinação do país visa imunizar pessoas abaixo de 16 anos, o que representa 53 por cento

O secretário de Estado para a Saúde Pública recordou a chegada ao país, no passado dia 02 do corrente mês, das mais de 600 mil doses de vacinas, provenientes da iniciática Covax da AstraZeneca.

“Uma parte do que o país espera obter até ao mês de Junho, pouco mais de 12 milhões de doses desta iniciativa Covax para poder cobrir 20 por cento das nossas necessidades”, contou.

Entretanto, explicou que o plano de vacinação do país visa imunizar pessoas abaixo de 16 anos, o que representa 53 por cento em todo o país. Salientou que a presente vacina utilizada é administrada em duas doses com o espaçamento de oito semanas e a injecção é feita no braço direito.

Neste primeiro lote de 224 mil doses de vacinas, estão a priorizar as províncias de Luanda, Benguela e Cabinda, atendendo os profissionais de saúde que estão na linha da frente nessa luta da Covid-19, idosos, doentes com comorbilidades, educadores do ensino pré-escolar e profissionais da defesa e segurança.

As primeiras 92 duas pessoas imunizadas não apresentam nenhum efeito adverso à vacina “Ontem realizamos o acto que assinalou a saída deste acto de vacinação no nosso país, sendo que 92 pessoas foram imunizadas com várias categorias profissionais. “Observamos que, desde ontem para hoje, não houve nenhum efeito adverso à vacina. As 92 duas pessoas portam-se bem”, garantiu Franco Mufinda.

Por outro lado, apelou a população no sentido de abraçar essa iniciativa que, por si, não é uma medida conclusiva, mas que deve ser acompanhada com as medidas de biossegurança que são pregadas todos os dias, como o uso da máscara e outras medidas que não podem ser descartadas.

1.104 pessoas testadas nos pontos de entrada e saída de Luanda

Franco Mufinda fez saber que, ontem, foram testadas 1.104 pessoas nos pontos de entrada e saída de Luanda, das quais 851 do sexo masculino e 253 do sexo feminino. Destes, 141 foram reactivas, expressando uma taxa de exposição de 12.8 por cento.

Assim sendo, 108 expressaram o marcador IgG, 22 IgM e 11 IgG/IgM. As mesmas foram submetidas ao teste à base do antigénio, porém não foi encontrado nenhum caso positivo.