Campanha de vacinação contra a Covid-19 começa amanhã em Luanda

Campanha de vacinação contra a Covid-19 começa amanhã em Luanda

A ministra da Saúde, Sílvia Lutukuta, disse ontem, em Luanda, que a campanha de vacinação da população angolana contra a Covid-19 começa amanhã, Sábado, num centro de alto rendimento no Pavilhão da Cidadela, onde serão atendidos os profissionais da saúde da província de Luanda. A governante garante que a vacina é segura, protege e salva vidas

Sílvia Lutukuta, que falava em conferência de imprensa sobre o Plano Nacional de Vacinação do país, explicou que numa primeira fase serão atendidos 20 por cento da população angolana, totalizando 6.419.534 de pessoas.

Segundo a responsável, o plano de vacinação contempla cinco pilares: primeiro, o planeamento, coordenação e execução. Segundo, a cadeia de frio e logística. Terceiro, a estratégia de vacinação de acordo com as prioridades definidas. Quarto, a gestão e formação de recursos humanos e o quinto é de monitoria e avaliação.

O plano tem como objectivo reduzir a mortalidade e a morbilidade, ou seja, o número de óbitos e de quadros novos de Covid ou com Covid, através da vacinação, contribuindo decisivamente para o bem-estar das populações e retoma da actividade económica e social.

A governante disse que o recomendado é vacinar primeiro a população de idade igual ou superior a 65 anos, sendo que é também recomendável priorizar certos grupos com maior número de exposição e não só, tendo em conta a disponibilidade mundial de vacinas que é um grande desafio neste momento.

Entretanto, contou que o país, para além do acesso através da iniciativa Covax, tem outras iniciativas. “Aderimos também a iniciativa da União Africana e temos iniciativas próprias do país nas nossas relações bilaterais”, salientou.

De acordo com a ministra, a Covax promete vacinas suficientes para vacinar 20 por cento da população de cada país e o restante terá de ser coberto pelos países individualmente ou associáveis a estás iniciativas.

“O nosso plano é ambicioso e prevê vacinar toda a população maior de 16 anos, o que representa 52 por cento. Sendo assim, iremos vacinar 16.823.284 pessoas. Temos duas etapas no nosso plano. Na primeira etapa serão as pessoas de alto risco que totalizam 6.419.534 de pessoas”, afirmou.

Segunda etapa de vacinação vai priorizar vendedores de mercados e taxistas

Entre os priorizados estão os profissionais de saúde com co-morbilidades, pessoas de idades avançadas, polícia, professores, integrantes dos órgãos de defesa e segurança. Na segunda etapa, segundo a governante, está a restante população que perfaz 32 por cento, onde estão enquadradas todas as pessoas com idades dos 16 aos 39 anos, sublinhando que nesta fase estarão também nas prioridades os vendedores de mercados, taxistas e a restante população.

A responsável recordou que o primeiro lote que o país recebeu perfaz 10 por cento das vacinas, com 624 mil doses da vacina AstraZeneca, fabricada na India. A iniciativa fornecerá 12.8 milhões de doses até o final de Junho.

Lutukuta contou que o país também está a trabalhar para obter outras vacinas seguras e certificadas. Entretanto, a vacinação prossegue nas províncias de Luanda, Cabinda e Benguela, por terem o maior número de casos de Covid-19, sobretudo os activos até ao momento.

Sílvia Lutukuta garantiu que a vacina é segura e também protege. “A vacina é gratuita, protege e salva vidas. A vacina também ajuda a reduzir o internamento”, salientou.