Feira do Campo incentiva produtores a aumentarem áreas de produção no Cuanza-Sul

Feira do Campo incentiva produtores a aumentarem áreas de produção no Cuanza-Sul

A realização da Feira do Campo na província de Cuanza-Sul incentiva produtores a aumentarem as áreas de produção e mostrarem potencialidades agrícolas. A 3.ª edição do evento acontece nos dias 26, 27 e 28 do mês em curso e aguarda por mais de 210 expositores

O director do Gabinete da Agricultura e Pescas do Cuanza- Sul, Laurindo Ladeira, avançou que as condições estão criadas para o evento e se prevê expor mais de 100 toneladas de produtos diversos, ressaltando que há interesse dos produtores, em participar da actividade, cujo objectivo é escoar os produtos do campo e incentivar a produção nacional em todo o país.

O responsável salientou que os espaços são disponibilizados a custo zero, de modo a incentivar o maior número de participantes e trocas de experiência entre eles. “Através das administrações locais, garantimos transporte para o local da exposição, reduzindo os custos com transportação.

Ladeira disse que as províncias de Luanda, Benguela e Huambo já confirmaram as suas presenças. Entre outros atractivos, o evento vai juntar operadores de transporte, comerciantes e produtores.

O evento vai contar com a exposição de produtos tal como batata-rena e doce, cereais, mel, hortícolas, leguminosas, ovos, frutas diversas. Igualmente serão expostos máquinas e insumos agrícolas.

Produtores satisfeitos

O produtor e presidente da cooperativa agrícola Jamba, Agostinho Alfredo, referiu que, através da feira do Campo, é possível mostrar as potencialidades agrícolas no município de Quilenda e a qualidade dos produtos. Disse ainda que as colheitas são realizadas no final de Janeiro e início de Fevereiro e servem para levar na Feira que acontece após a recolha dos produtos. “Anteriormente não tínhamos como mostrar a produção, pois havia desperdícios de quantidades incalculáveis de produto. Éramos obrigados a vender a um preço reduzido, por falta de compradores. Com a realização da feira, temos motivação para produzir e o cliente sabe onde comprar”, disse.

Agostinho Alfredo referiu que a estiagem reduziu a colheita, mas espera comercializar grandes quantidades de produto. No evento, a cooperativa agrícola Jamba vai expor 30 kg batata-rena, 100 kg de fuba de milho,120 kg de fuba de bombó, 70kg de feijão catarina, 30 kg de feijão manteiga, 8 caixa de bata-doce, 150 kg de milho, 10 cachos de banana pão, 19 cachos de banana de mesa e 15 kg de feijão preto. “A feira do campo serve para mostrar o que produzimos e a qualidade”, enfatizou.

Segundo o agricultor, o principal entrave é o mau estado das vias de comunicação, principalmente a estrada que liga o município da Gabela à Quibala, a 15 quilómetros na zona da Xaiaia onde se encontra a sede da cooperactiva Jamba. “A estrada está muito mal e colocaram paus, muitas vezes temos de depender de tractor para chegar à sede do município da Gabela”, disse. Com 35 associados, a cooperactiva espera colher 10 toneladas de milho. Neste momento, estão a colocar as novas sementeiras de feijão.

Por sua vez, o representante da cooperativa Munguba Kirianga, situada no município da Quilenda, Francisco Vale, salientou que a realização da Feira do Campo incentiva o aumento da produção agrícola e a valorização dos produtos locais diversificando a economia.

O responsável referiu que grande parte do produto exposto é comercializado, motivo que alegra os produtores. Deste modo, aumentam- se as áreas de cultivo e diversifica-se a produção.

Na 3.ª edição do evento, a cooperativa Munguba Kirianga vai expor 50 kg de feijão, 200 kg de hortícolas diversas, cana-deaçúcar e outros produtos.

Segundo ele, o grande “calcanhar de Aquiles” ainda é o escoamento dos produtos do campo para os municípios sede. Não temos meios para transportar a produção, as máquinas que recebemos não têm atrelado e, algumas vezes, temos de alugar transporte.