Governador de Cabinda afirma que estabilidade política alavanca desenvolvimento da província

Governador de Cabinda afirma que estabilidade política alavanca desenvolvimento da província

O governador de Cabinda, Marcos Nhunga, assegurou que a situação política e militar local é estável e tem contribuído para o crescimento económico daquela província mais a Norte do país

Marcos Nhunga fez esta afirmação num encontro que manteve com a imprensa, por ocasião das festividades dos 19 anos da assinatura dos Acordos de Paz entre o Governo e a UNITA, cujo acto central aconteceu em Cabinda, no dia 4 de Abril. Esta estabilidade, segundo o governador da província mais a Norte do país, está a permitir a circulação de pessoas e mercadorias, bem como o alavancar da economia, com a aposta na agricultura.

Conforme explicou, apesar da descontinuidade geográfica, que, nalguns casos, dificulta a circulação de pessoas e bens para outras províncias do território nacional, Cabinda está no rumo certo para o desenvolvimento.

Neste sentido, Marcos Nhunga disse que para o progresso da província, o seu governo conta com os préstimos dos quadros locais e não só, maioritariamente jovens, que asseguram os vários sectores da vida económica e social.

O governante disse ainda que a sua equipa de trabalho apostou seriamente na agricultura para combater a fome e reduzir a pobreza, sobretudo nas comunidades rurais.

O dirigente, que é igualmente engenheiro agrónomo de profissão, entende que a forma mais viável para eliminar a indigência no seio da população é apostar na agricultura, numa província com fortes potencialidades em recursos hídricos e terras aráveis.

Por outro lado, acredita que com a conclusão de várias infraestruturas na província, Cabinda poderá atingir a rota do desenvolvimento, apesar da crise financeira internacional que tem estado a dificultar o financiamento de alguns projectos não só nesta região, mas também noutras do país. Com a conclusão dos projectos económicos e sociais na província, Nhunga acredita que o índice de desemprego vai ser reduzido significativamente.

Partidos políticos enaltecem trabalho

Por seu lado, a UNITA, na voz de Gabriel Silvestre(Samy), e Rui Malopa Miguel(PRS) que estiveram em Cabinda a testemunhar as festividade do 4 de Abril, Dia da Paz e da Reconciliação Nacional, reconhecem o desempenho das autoridades de Cabinda que pretendem dar um rumo melhor à província em termos de desenvolvimento.

Em declarações ao jornal O PAÍS na foz do Rio Chiloango, nas imediações de Lândana(Cacongo) à margem do lançamento da campanha dos mangais, feita pelo Vice-Presidente da República, Bornito de Sousa, foram unânimes em afirmar que acreditam por dias melhores para a Cabinda.

Os dois políticos constataram no terreno os vários projectos visitados por Bornito de Sousa, inseridos na agenda da sua visita a esta província, onde presidiu ao acto central do Dia da Paz, em representação do Presidente da República, Joao Lourenco. Durante a sua estada de 24 horas, o Vice Presidente da República constatou o andamento de vários empreendimentos de impacto económico e social em curso em Cabinda, tendo, no seu discurso, feito referência a estes importantes empreendimentos, que, segundo Bornito de Sousa, pelo simbolismo ou pelo valor da empreitada tem a certeza absoluta que vão contribuir para o bem-estar e a melhoria da qualidade de vida, a elevação dos índices de desenvolvimento humano e a criação de emprego, sobretudo para a juventude.

Segundo ainda o Vice-Presidente, alguns desses projectos terão projecção nos países vizinhos e mesmo para a região central de África. Bornito de Sousa referia-se ao Terminal Marítimo de passageiros, e à rampa de atracagem de Ferryboats, ao Terminal de águas profundas do Caio e ao projecto de construção da Refinaria de Cabinda. Reconheceu que alguns desses projectos estão em fase bastante avançada, mas outros ficaram condicionados pela significativa redução de disponibilidades financeiras por parte do Estado. Disse que nalguns casos a execução pode atrasar, mas o Governo mantém a vontade para a sua conclusão para que contribua para a melhoria da vida da população de Cabinda.