Indústria cinematográfica angolana “reforçada” com dois graduados pela MTF

Indústria cinematográfica angolana “reforçada” com dois graduados pela MTF

Paulo Idalécio João “Papi” e Adriano Dizongo são os dois formandos angolanos, graduados pela academia MultiChoice Talent Factory (MTF), de um grupo de 60 alunos provenientes de vários países africanos, cujo objectivo é a promoção e alavancagem da indústria cinematográfica no continente

A turma “MTF 2020” graduou, em cerimónia que decorreu na Africa do Sul, na última Terça-feira (6), 60 formandos de 13 países do continente, dentre eles dois angolanos, Paulo Idalécio João “Papi” e Adriano Dizongo, pela frequência do ano lectivo 2019/2020, no curso de Cinema e Televisão.

Durante 18 meses, os alunos receberam formação e experiência prática na indústria do cinema com foco para a narração de histórias, produção, som e realização, assim c o m o aprenderam com especialistas da indústria, a trabalhar em live sets de produções e criar conteúdos originais.

Por isso mesmo, Paulo Idalécio, em declarações ao jornal OPAÍS, referiu além de outros ganhos inerentes à formação em que teve aulas sobre o “Negócio cinema”, “Fundamentos de produção”, “Apreciação de cinema”, “Laboratório digital”, entre outras disciplinas, permitiu-lhe a realização da curta-metragem “Os segredos da aldeia”.

Nesta película em dois formatos de 10 e 16 minutos, conta sobre aspectos tradicionais ligados à vila da Muxima, na Quiçama, em que traz à tona represálias de que são alvos, sobretudo os jovens, por irem ao banho no rio sem autorização. Fala igualmente em relação ao sobado, que é representado por uma mulher e não por um homem como tem sido comum.

“Com a MTF, a MultiChoice África fortalece o seu compromisso de ‘enriquecer vidas’, nos locais onde actua, ao permitir que jovens apaixonados por cinema e televisão tenham formação da melhor qualidade em áreas-chave como técnicas de narrativa, produção, áudio e realização na indústria cinematográfica e de TV”, lê-se numa publicação da Multichoice Angola.

A mesma nota destaca, igualmente, que o MultiChoice Talent Factory (MTF) é um programa de formação criado pela MultiChoice África para influenciar positivamente a cadeia de valor técnico e profissional da indústria cinematográfica e televisiva em todo o continente.

2020 desafiador

A Multichoice considera o ano 2020 bastante desafiador, todavia manifesta o seu grau de satisfação, pela conclusão exitosa dos 60 estudantes de Angola, Botswana, Etiópia, Gana, Quénia, Malawi, Moçambique, Namíbia, Nigéria, Tanzânia, Uganda, Zâmbia e Zimbabwe, que nas academias de Lusaka, Nairobi e Lagos depressa se ajustaram ao contexto da pandemia da Covid-19, e rapidamente fizeram a transição do ensino físico para o virtual.

A CEO para a área de Entretenimento do Grupo MultiChoice, Yolissa Phahle, salientou que “2020 foi, sem dúvidas, um ano bastante desafiador para todos nós, pois tivemos que nos reinventar e adaptarmo-nos a um ‘novo normal’, e o MTF, foi um dos projectos que mais foi impactado pelo novo normal, o curso que estava programado para ser feito em 12 meses, teve que ser estendido para 18 meses, mas também tivemos resultados excepcionais, pois acrescentamos mais valências ao curso, habilitando ainda mais e melhor os estudantes que fizeram parte da Turma MTF 2020”.