Espanha garante 250 milhões de euros para as exportações

Espanha garante 250 milhões de euros para as exportações

O Chefe do Governo de Espanha, Pedro Sanchez, anunciou, ontem Quinta-feira, um apoio financeiro de 250 milhões de euros, para cobertura das exportações, do sector empresarial da República de Angola

Ao intervir no Fórum Económico Angola Espanha, apesar de não estabelecer datas para o efeito, Pedro Sanchez garantiu que o valor destina-se essencialmente a cobertura das exportações, no quadro das estratégias adoptadas por aquele país. “Angola é um país amigo, por isso colaboramos e apoiamos.

Pode contar com as empresas espanholas nos mais variados sectores”, destacou, citando os recursos naturais disponíveis que facilitam a implementação de vários projectos nos ramos da agricultura e indústria. Sendo Angola um dos principais destinos de exportação em África, sublinhou, o seu país, localizado na península Ibérica, defende a diversificação da economia angolana, além do petróleo.

As exportações de Espanha para Angola cresceram de 300 milhões de euros, em 2015, para os 500 milhões, nos últimos anos, enquanto no sentido inverso Angola exportou cerca de mil 352 milhões de euros/ano, superando os mais de 200 milhões, de 2014. Por outro lado, o Reino de Espanha investiu neste Estado da África Austral, Quatrocentos e sessenta milhões de dólares, entre 1990 e 2020, através dos seus empresários, como reflexo de uma carteira comercial em permanente crescimento.

Dados obtidos pela imprensa , junto da Agência de Investimento Privado e Promoção das Exportações de Angola (AIPEX), indicam que o montante foi aplicado num conjunto de 82 projectos, em variados segmentos do sector económico. Destes investimentos, o sector da Indústria lidera com 15 projectos, com valores fixados em 323 milhões e 195 mil dólares, seguido das Pescas (7 projectos), avaliados em 59 milhões 263 mil dólares), Construção Civil (23 acções, orçados em USD 41 milhões e 285 mil).

A propósito, o ministro da Indústria e Comércio, Victor Fernando, reiterou o foco do Governo angolano na eliminação das barreiras e restrições ao comércio, bem como a aplicação de procedimentos que visam facilitar o investimento, que tem como finalidade no aumento da competitividade. “(…)

O objectivo é acelerar também os ganhos derivados do comércio internacional” sublinhou o governante ao intervir no referido encontro. Neste fórum em que participaram empresários nacionais e da Espanha, o ministro de Estado para a Coordenação Económica, Manuel Nunes Júnior, pediu, por sua vez, apoio ao Reino de Espanha para estruturação da economia nacional fora dos recursos do petróleo.