Carta do leitor: Lixo continua a tirar o sono a luandenses

Carta do leitor: Lixo continua a tirar o sono a luandenses

Ao coordenador do jornal O PAÍS, as mais calorosas saudações… Os amontoados de lixo em Luanda, capital de todos os angolanos, continua a tirar o sono aos seus cidadãos. Basta ver a forma como no centro da cidade e nos bairros os amontoados exalam cheiros nauseabundos de todo o tipo. Verdade ou não, mas o silêncio ou a letargia das autoridades do Governo Provincial de Luanda (GPL) continua a preocupar os cidadãos.

Daqui a dias chega o tempo e esse trará consigo muitas doenças por força das bactérias que pelos amontoados circundam. Penso que os avisos são vários e com a Covid-19 é chegado o momento de se fazer uma reflexão mais profunda sobre o assunto. De outro modo, o sistema de saúde terá muitas complexidades e tudo indica que ninguém será responsabilizado. Depois de várias tentativas para se encontrar uma solução, algumas operadoras de recolha de lixo, em Luanda, admitiram que não têm capacidade técnica para o efeito. Posto isto, não se sabe aonde reside o problema: no Governo Provincial de Luanda ou nas operadoras que estão por entrar em cena? Quem está a sofrer? Em pleno século XXI, pelos modelos de gestão da coisa pública, encontrar uma solução para gerir a recolha do lixo em Luanda não exige longos anos obsessivos de estudo.

A ausência de liderança estratégica estará na base da “desgovernação” não só de Luanda, bem como de outras instituições públicas e privadas desta nosso rico e belo país chamado Angola, menos lixo, mais saúde, por favor!

Por: Kilander dos Santos, Luanda