Iniciativa presidencial leva bens alimentares ao Cunene para acudir vítimas da seca

Iniciativa presidencial leva bens alimentares ao Cunene para acudir vítimas da seca

O Presidente da República fez chegar, ontem, a Ondjiva, capital da província do Cunene, os primeiros bens alimentares e vestuários para acudir mais de 800 pessoas assoladas pela fome e pela seca, nos municípios do Curoca, Cahama e Ombadja.

O primeiro lote de um total de 30 toneladas, constituído por arroz, farinha de milho, conservas de peixe, conservas de carne, sal e roupa usada, seguiu a bordo de um cargueiro da Força Aérea Nacional(FAN), com a matrícula T-911 IL-76, que descolou da Base Aérea de Luanda às 7 horas e 40 minutos.

Com a mesma missão, partiu, também, ontem, no fim do dia, uma coluna rodoviária para Ondjiva com o mesmo objectivo.

O envio destes produtos, de acordo com uma fonte da Presidência da República, vem responder ao grito de socorro lançado pela governadora provincial do Cunene, Gerdine Didalewa, no dia 25 de Fevereiro, aquando da IV Sessão Ordinária do Conselho Nacional de Águas(CNA), orientado pelo Vice-Presidente da República, Bornito de Sousa, decorrida em Luanda.

A governante tinha alertado que caso não chovesse, nos próximos dias, a situação poderia se agudizar, sendo que havia populações que deixavam as suas áreas de residências, indo para outras onde existia água.

Aos jornalistas, Gerdine Dilalewa tinha dito ainda que desde Novembro que não chovia na província, e os municípios do Curoca, Cahama e Ombadja eram os mais afectados, e previa um quadro desolador como o de 2019, que afectou o Cunene.

Atendo-se às declarações da governadora, a estiagem prolongada não estava só a afectar as pessoas, mas também o gado que estava a sofrer por falta de água e de pasto, cuja situação tem sido cíclica naquela província mais a sul do país.

Para mitigar o quadro, as autoridades da província tem estado a distribuir água potável por intermédio de cisternas a várias populações, tendo admitido não ser uma tarefa fácil.

Contornar a situação

De modo a contornar a situação que requer cuidados redobrados, o Conselho Nacional das Águas perspectiva a realização de visitas pontuais de acompanhamento a programas e projectos estruturantes nas províncias do Namibe, Cunene, e Cuando Cubango, bem como a actualização do Acordo de 1969 relativo à utilização dos recursos hídricos da Bacia Hidrográfica do Cunene, entre Angola e a Namíbia.

400 toneladas via terreste

Na mesma senda, um grupo de camiões carregados com alimentos e vestuários saiu, ontem, por volta das 18 horas, para por via terra levar alimentos às famílias carenciadas do sul do país. São no total 14 camiões, levando aproximadamente mais de 400 toneladas. A organização dos camiões estava a cargo da Casa Militar da Presidência da República.