Bernie Madoff, maior golpista da história, morre em prisão norte-americana, diz relato

Bernie Madoff, maior golpista da história, morre em prisão norte-americana, diz relato

Bernard Madoff, o ex-financeiro que realizou a maior fraude de investimento na história dos Estados Unidos, morreu aos 82 anos de idade, de acordo com relatos da mídia

Em 2009, o notório financeiro recebeu uma sentença máxima de 150 anos de prisão por fraude de investimento. Segundo as palavras de uma pessoa que conversou com a Associated Press desejando permanecer anónima, Madoff morreu no Centro Médico Federal de Butner, na Carolina do Norte, aparentemente por razões naturais.

Por décadas, Madoff enganou milhares de investidores e acumulou uma fortuna de USD 65 biliões, usando o chamado esquema de Ponzi – uma forma de fraude que atrai investidores e paga lucros para investidores anteriores com fundos de investidores mais recentes.

Madoff começou a carreira como corretor de bolsa nos anos de 1960 e, por curto período, foi presidente da Associação Nacional de Corretores de Títulos de Cotações Automáticas (NASDAQ, na sigla em inglês). Logo depois, ele fundou a firma Bernard L. Madoff Investment Securities, que foi incrivelmente bem-sucedida até à crise económica de 2008.

Em 2009, o financeiro admitiu a sua culpa de 11 crimes federais, contando que ele tinha tornado o negócio de gerenciamento de riqueza no maior esquema de Ponzi do mundo, do qual beneficiou ele próprio, a família e membros selectos do seu círculo próximo. O golpista recebeu uma sentença de 150 anos de prisão.

O Departamento de Justiça dos EUA organizou um fundo para as vítimas das suas fraudes e até Abril de 2020 distribuiu mais de USD 2,7 biliões entre cerca de 38.000 investidores defraudados.

Em Fevereiro de 2020, os advogados de Madoff procuraram “uma liberação compassiva”, declarando que o seu cliente sofria de insuficiência renal terminal e outras condições crónicas. O pedido de liberação antecipada foi negado.