Editorial :Mulenvos

Editorial :Mulenvos

Algumas semanas depois de ter sido lançado o concurso para a exploração do Aterro Sanitário do Mulenvos, mais de 30 empresas manifestaram o desejo de participar no referido negócio.

Além das 26 empresas nacionais, outras 10 estrangeiras também se mostraram interessadas. Segundo o secretário de Estado da Economia e Planeamento, Milton Reis, para as empresas estrangeiras o Governo de Angola enviará ofícios às representações diplomáticas dos seus países de origem, no sentido de facilitar encontros virtuais com os seus representantes.

O projecto de concessão para a gestão do aterro dos Mulenvos, aprovado pelo Despacho Presidencial nº34/21 de 24 de Março, será implementado numa modalidade de Parceria Público-Privada e prevê a triagem e valorização dos resíduos sólidos através da reciclagem, venda dos resíduos reciclados, compostagem, incineração, biogás e produção de energia.

Segundo um estudo realizado pelo Ministério da Economia e Planeamento (MEP), na província de Luanda se produz cerca de 3.3 milhões de toneladas de resíduos, por ano, sendo que 45% dessa produção tem potencial de reutilização como matéria-prima para a indústria, 35% como fertilizantes, e os restantes 20% poderiam ser utilizados na produção de energia.