Alliance Française celebra o Dia Internacional do Jazz com exposição e projecção de filmes

Alliance Française celebra o Dia Internacional do Jazz com exposição e projecção de filmes

A exposição “Rumba Conexão”, a projecção dos filmes “Tonton Manu” e “Staff Benda Bilili” são as opções da Alliance Française de Luanda para celebrar o Dia Internacional do Jazz que se assinala a 30 do corrente mês

A referida exposição realizada em parceria com a Bienal de Luanda e a UNESCO, será inaugurada na Sexta- feira (23) a partir das 17 horas no Palácio de Ferro, a seguir a um concerto de rumba congolesa.

Segundo o porta-voz da Alliance Française de Luanda, Hugor Paixão, as obras que preencherão a exposição são quadros de pintura que retratam a vida da rumba congolesa, como os ícones deste estilo musical e dançante, desde os mais antigo até aos da nova geração, está a cargo do “Colectivo UMA”.

Entre os ícones está o Sam Mangwana, Fally Ipupa, Franco Luambo, Rochereaux, Papa Wemba, (os três últimos já falecidos). “É uma exposição que vai, na verdade, exibir esses artistas, cujos trabalhos continuam a ser divulgados. Também, são cantores francófonos”, enfatizou.

Para este dia foi ainda reservada a projecção do documentário francês “Staff Benda Bilili”, que trará em foco este estilo musical, que é a rumba congolesa, que se tornou património imaterial da humanidade.

A película produzida em 2010 mostra a realidade de um grupo de músicos de rua deficientes físicos, que se uniram através dos seus talentos, tocando vários estilos musicais africanos, tradicionais, com melodias de guitarra, percussão com latas, garrafas e violão reciclado, o que lhes permitiu a tournée mundial. “Este documentário está também relacionado a este mês e tem tudo a ver. Também, os realizadores são francófonos. Vamos celebrar o Jazz, a rumba e a própria UNESCO. É uma maneira de juntarmos o útil ao agradável”, disse Hugor Paixão.

O responsável avançou que as referidas actividades serão realizadas através do convite feito pela UNESCO para celebrar a efeméride, também pelo facto de este estilo musical e dançante ser um património cultural da África Central, especificamente da República Democrática do Congo, Congo Brazzaville Angola, Camarões e Gabão. “É um tema que podia agregar, dar valores a estes cincos países que têm este estilo musical em comum”, sublinhou.

Por sua vez, o filme “Tonton Manu” será exibido na Quarta-feira (28), para homenagear uma grande figura da África (Central), ícone do jazz, Manu Dibango.

Sobre a efeméride

A data foi criada pela UNESCO e anunciada pelo pianista e embaixador da boa vontade da UNESCO, Herbie Hancock e foi celebrada pela primeira vez em 2012.

A comemoração tem como objectivo lembrar a importância deste género musical e o seu contributo na promoção de diferentes culturas e povos ao longo da história. O jazz está associado à luta pela liberdade e à abolição da escravatura.

Para promover o Dia Internacional do Jazz decorrem vários concertos de jazz, promovidos por escolas, grupos e músicos, com o intuito de apresentar à população este género musical. O jazz é um estilo musical que apela à criatividade e à improvisação.

Teve origem nos Estados Unidos da América, através da comunidade afro-americana no século XIX, tendo-se popularizado nas primeiras décadas do século XX. New Orleans é reconhecida como a cidade onde nasceu o jazz. Acredita- se que a palavra jazz advém da gíria norte-americana.

Miles Davis, Chet Baker, Billie Holiday, Ella Fitzgerald, Nina Simone, John Coltrane, Louis Armstrong, Edward Ellington e Dizzy Gillespie são alguns dos grandes nomes do jazz.