Defendida a preservação da paz e reconciliação nacional

A tolerância, o diálogo e o respeito à opinião contrária devem ser os instrumentos que os angolanos devem ter em conta para preservarem a paz e consolidarem a reconciliação nacional

O líder da Igreja de Nosso Jesus Cristo no Mundo(INSJCM), Bispo Afonso Nunes, apelou, recentemente, em Luanda, aos angolanos a continuarem a cerrar fileiras para consolidarem o processo de reconciliação nacional para se preservar a paz.

O prelado lançou este apelo em conferência de imprensa, que antecedeu à reinauguração da Rádio Tocoista(A Voz da Esperança), depois de ter beneficiado de obras de restauro, cujo acto inseriu-se nas festividades do 86º aniversário da Epifania(descida do Espírito Santo) ao profeta Simão Toco, decorrido em Catete, sede do município do Icolo e Bengo, província de Luanda.

Dom Afonso Nunes disse que apesar de ser um processo difícil, é importante que os angolanos continuem a trabalhar em harmonia para que a paz seja cada vez conservada.

Apontou que se prime pela tolerância, diálogo e o respeito à opinião contrária como os únicos instrumentos para manter este processo de há 19 anos, resultante da assinatura dos Acordos de Paz entre o Governo e a UNITA a 4 de Abril de 2002.

Disse que os incidentes de percurso não devem atrapalhar a reconciliação nacional, salientando que a Paz e a Reconciliação Nacional devem ser vividas permanentemente.

O prelado tocoísta reconheceu que é um preocesso difícil, mas não impossível, na medida em que os sinais até aqui são animadores.

Manifestações

Questionado sobre a onda de manifestações que tem sido levada a cabo em algumas províncias, organizadas maioritariamente por jovens, respondeu que devem ser realizadas nos marcos da lei.

Segundo a fonte, este direito consagrado na Constituição da República de Angola(CRA) deve ser feito de forma ordeira para não beliscar os ganhos já alcançados desde a assinatura dos acordos de Paz.

Rádio Tocoísta

Por outro lado, anunciou que a igreja que dirige aguarda por duas licenças para inaugurar duas novas rádios, sendo uma na província eclesiástica do Negage (Uíge), e a outra na do Waku Kungu, sede do município da Cela, no Cuanza- Sul.

Com pendor principal de evangelização dos povos, promoção da paz e harmonia, a documentação para a abertura das duas estações radiofónicas já se encontram no Ministério das Telecomunicações, Tecnologias de Informação e Comunicação Social, segundo o bispo.