Editorial: Abraço solidário

Editorial: Abraço solidário

Habituados a relatarem os acontecimentos que ocorrem no país, as empresas afectas ao Ministério das Telecomunicações, Tecnologias de Informação e Comunicação Social decidiram assumir a dianteira no processo de ajuda das populações do Sul de Angola, assoladas por uma crise alimentar sem precedentes.

Longe dos microfones, empresas de tecnologia, jornais, rádios e televisões lideram assim um processo de recolha de alimentos, roupa usada e outros bens que possam acudir os mais necessitados das províncias da Huíla, Cunene, Cuando-Cubango e Namibe.

Mais do que se imputar uma responsabilidade exclusiva ao Executivo angolano, sobretudo numa fase de crise económica, através de acções concertadas, empresas públicas, privadas e outras pessoas interessadas podem ajudar a debelar muitos dos problemas que se vivem nas regiões afectadas.