Mexidas no Governo de Benguela: Nunes “importa” dois quadros da Huíla

Mexidas no Governo de Benguela: Nunes “importa” dois quadros da Huíla

Trata-se de André Manuel Sampaio Adriano, director do Governador Provincial; e de Manuel Miguel Luzolo, que se vai ocupar da pasta do Gabinete de Estudos, Planeamento e Estatísticas. Eles e mais outros quadros do xadrez governativo foram nomeados por despachos assinados na noite de quinta-feira, 23, por Luís Nunes

Num primeiro acto, o governador provincial de Benguela, Luís Nunes, usando das faculdades conferidas pela Lei nº 15/16, de 12 de Setembro, (Lei da Administração Local do Estado), e do Decreto Executivo nº 45/18 de 12 de Abril, que aprova o Estatuto Orgânico do Governo Provincial de Benguela, procedeu à sua primeira mexida no seu aparelho governador, desde que assumiu o comando de Benguela, tendo apostado em dois quadros com quem trabalhou na província da Huíla.

Desta feita, exonerou Aquiles Manuel de Magalhães Alves de Carvalho do cargo de Secretário-Geral do Governo Provincial; Rosa da Conceição Ndjepele, do cargo de directora do Gabinete Jurídico e de Intercâmbio do Governo Provincial; Rui Manuel Dias do Carmo, do cargo de director do Gabinete de Recursos Humanos do Governo Provincial; Jorge Rafael da Costa, do cargo de director do Gabinete de Estudo, Planeamento e Estatística do Governo Provincial; Elmano Inácio Herculano Francisco, do cargo de director do Gabinete Provincial de Ambiente, Gestão de Resíduos Sólidos e Serviços Comunitários; Leonor Armando Joaquim Fundanga, do cargo de directora do Gabinete Provincial de Acção Social, Família e Igualdade do Género; e, por último, André Ricardo Mandele, das funções de director do Gabinete Provincial dos Transportes, Tráfego e Mobilidade Urbana;

Analistas já vaticinavam que, tarde ou cedo, figuras como Leonor Fundanga iriam deixar os cargos. Segundo fontes palacianas, que falaram sob anonimato, Leonor Fundanga tem vindo a manifestar incapacidade de resolver o problema gritante da fome que está a afectar milhares de famílias, obrigando a que muitos cidadãos inundem as ruas de Benguela.

Relação a Aquiles de Carvalho, este tinha encabeçado um interrogatório que a PGR havia feito a membros do Governo Provincial de Benguela, por alegada irregularidade, no seguimento do processo relativo a suspeitas de fraude num negócio com a CCJ, empresa de construção civil, soube a VOA de fontes credíveis.

Socorrendo-se novamente da lei, Luís Nunes nomeou Alex Mosso Ernesto Chicuteco, para o cargo de Secretário-Geral do Governo Provincial; André Manuel Sampaio Adriano, para o de director do seu gabinete; Manuel Miguel Luzolo, para o de director do Gabinete de Estudo, Planeamento e Estatística do Governo Provincial; Jorge Rafael da Costa, para o cargo de Director do Gabinete de Recursos Humanos do Governo Provincial.

O governador nomeou também Ivete Joana Salomão Lopes da Costa, para directora do Gabinete Jurídico e de Intercâmbio do Governo Provincial; Mariza da Glória Kinzima, para se ocupar do Gabinete Provincial de Ambiente, Gestão de Resíduos Sólidos e Serviços Comunitários; Janice Joannes de Oliveira Neves, para directora do Gabinete Provincial de Acção Social, Família e Igualdade do Género.

Ainda usando das prerrogativas legais, Nunes decidiu nomear Cátia Francisca Gertrudes Tchimbinga Cachuco directora do Gabinete Provincial dos Transportes, Tráfego e Mobilidade Urbana; Fernando Ekuma Baptista Fernandes, para se ocupar do Gabinete Provincial de Infra-estruturas e Serviços Técnicos. Herlander Marcos Gonçalves Daniel manter-se-á na posição anterior a de director-adjunto do Gabinete do Governador.

Constantino Eduardo, em Benguela