Chanceler da Rússia sobre Sputnik V no Brasil: EUA não escondem que exercem pressão

Chanceler da Rússia sobre Sputnik V no Brasil: EUA não escondem que exercem pressão

O ministro das Relações Exteriores da Rússia, Serguei Lavrov, revelou em entrevista à Sputnik que os Estados Unidos não escondem que exercem pressão sobre o Brasil na questão da vacina russa Sputnik V. Comentando o fato de os EUA terem confirmado que estão fazendo esforços em relação ao Brasil para este rejeitar a vacina russa Sputnik V, o chanceler russo disse que não está surpreendido.

“Não estou surpreendido com isso. Os norte-americanos não se acanham de estar fazendo este trabalho. Eles não estão escondendo isso”, disse Lavrov. Lavrov afirmou que a administração anterior fez algo similar, quando o então secretário de Estado norte-americano Mike Pompeo viajou pela África e apelou, publicamente, nas conferências de imprensa aos seus colegas para não cooperarem e negociarem com a Rússia e China, porque estes países “têm objectivos egoístas”, enquanto os americanos negociam com os países africanos “para o bem dos povos”.

“No Brasil, surgiu agora um movimento contra esta privação. E se os norte-americanos admitiram que estão por trás deste resultado, então, é porque são fiéis à sua lógica de que tudo é permitido para eles e já não se acanham de dizer isso publicamente”, declarou Lavrov. O chanceler da Rússia lembrou que o presidente francês, Emmanuel Macron, disse que estava a acontecer uma nova guerra, com a China e a Rússia, usando a vacina como arma e ferramenta de propaganda. Mas agora a situação está a mudar. “Agora tudo isso está a passar, a recuar para o segundo plano. Já a Alemanha, inclusive a chanceler Merkel, está a falar seriamente que é possível usar a vacina russa. Não vamos forçar ninguém a fazê-lo.

Acredito que a vida colocará tudo no seu lugar”, afirmou o ministro russo. Alternativas ao sistema SWIFT Comentando as suas declarações anteriores sobre a necessidade de uma alternativa ao sistema de transferências internacionais SWIFT, Lavrov disse que muitos já falaram disso, os países ocidentais já mencionaram, directamente, a possibilidade de desligar a Rússia do sistema SWIFT. “Actualmente, a China, a Rússia e a Turquia, e muitos outros estão a procurar possibilidades de diminuir a sua dependência do dólar, passando para moedas alternativas, ou, ainda melhor, efectuando pagamentos em moedas nacionais”, declarou Lavrov.

O ministro russo lembrou que a  Rússia tem um sistema nacional de cartões de pagamento. Quanto ao SWIFT, o Banco Central da Rússia introduziu há algum tempo e está a desenvolver, com sucesso, um sistema de transmissão de mensagens financeiras. “Quero salientar mais uma vez que não estamos entrando em isolamento, em completa autonomia. Queremos fazer parte da comunidade internacional, mas parte de uma comunidade que seja justa e democrática”, disse ele.