Zeca Amaral mantém-se fiel ao Bravos do Maquis

Zeca Amaral mantém-se fiel ao Bravos do Maquis

Zeca Amaral, técnico do Bravos do Maquis, desmentiu, ontem, no Luena, que vai deixar o comando técnico da equipa do Moxico para treinar o Petro de Luanda.

O técnico alegou que tem mais duas épocas por cumprir na formação das terras do progresso.

O técnico disse que as informações que foram postas a circular não fazem parte daquilo que é o seu pérfil profissional.

Zeca Amaral considerou “boatos” tais informações, porque não foi contactado por nenhum dirigente do Petro e nem tenciona rescindir o contrato com o actual clube.

“Não respondo a boatos”, reiterou o bicampeão nacional nas épocas de 2011 e 2012, ao serviço do Recreativo do Libolo.

José Jorge Fernandes do Amaral “Zeca Amaral”, 54 anos, natural de Malanje, tem como melhor registo no FC Bravos do Maquis o terceiro lugar alçando em 2013.

Na presente época do Girabola2020/21, a sua equipa ocupa a terceira posição com 34 pontos.

O técnico já orientou a selecção nacional de futebol “Palancas Negras” em 2010, Sonangol do Namibe (2001 a 2002), Benfica de Luanda (2014 a 2016) e em 2017 regressou ao Moxico, onde permanece até à data.

Ocupando a modesta quarta posição do Girabola2021, com 32 pontos, o Petro de Luanda vive um período menos bom que ditou a eliminção inglória da Liga dos Campeões Africanos.

Na sequência, a direcção da colectividade 15 vezes campeã da competição nacional, liderada por Tomás Faria, rescindiu o contrato com o espanhol António Cossano, indicando em substituição o angolano Mateus Agostinho “Bodunha”.